Herança Quantitativa – O que é, como funciona e Exemplos

As características que vemos em outros seres humanos e em outros organismos são expressões dos genes que determinam essas características somado aos fatores ambientais, como exposição solar e alimentação. Em alguns casos, as características são determinadas não apenas por um par de genes, mas de vários. Esses casos são chamados de herança quantitativa. As heranças quantitativas apresentam, portanto, um leque maior de variações, pois depende da quantidade de gene envolvido naquela expressão fenotípica.

As principais descobertas sobre a herança quantitativa foram feitas pelo geneticista sueco Nilsson-Ehle (1908) e pelo americano East (1910). Mais tarde, na Inglaterra, Mather desenvolveu métodos estatísticos para analisar como esses genes múltiplos agiam, denominando-os de polígenes. Confira abaixo mais informações sobre a herança quantitativa.

Como funciona a Herança Quantiativa

O que é Herança quantitativa?

A herança quantitativa, ou poligênica, significa que determinada característica é determinada por mais de dois genes. Consequentemente, o resultado é a soma ou a interação dos efeitos de cada gene.

Como funciona?

Além da herança quantitativa  ser o resultado do acúmulo dos efeitos dos genes, a expressão ainda sofre ação dos fatores ambientes. Por isso, há grande variedade de expressões da mesma característica, geralmente ocorrendo de forma gradual entre os extremos opostos.

De forma geral, o número de fenótipos resultante segue a fórmula: número de alelos envolvidos + 1. Assim, se estiverem envolvidos 8 alelos na mesma característica, o número de fenótipos resultantes será 9.

A distribuição dessas características seguem uma curva do tipo normal, ou Gausiana, em que os fenótipos extremos são sempre encontrados em menor quantidade, enquanto os intermediários ocorrem mais frequentemente.

Exemplos

Os exemplos mais clássicos da herança quantitativa em seres humanos são: altura, peso, cor da pele e cor dos olhos.

No caso da cor da pele, apesar de sabermos que é um tipo de herança quantitativa, não há consenso sobre o número de genes envolvidos. Enquanto alguns autores sugere que hajam dois genes, outros sugerem que há mais de quatro genes envolvidos. Por isso, também não se sabe ainda qual o número de cores possíveis para cor da pele humana. Além disso, a coloração da nossa pele é muito influenciada pela exposição ao sol, dificultando a projeção sobre a cor real da pele de cada indivíduo.

Quanto maior o número de alelos envolvidos, mais difícil de imaginar que fenótipo possui cada genótipo. Por exemplo, se apenas dois genes determinassem a coloração da pele humana (gene A e B), uma pessoa negra possuiria os genes dominantes AABB e o extremo oposto, indivíduo branco, teria o genótipo aabb.
Quando aumentamos a quantidade de genes, por exemplo, se estivessem envolvidos 4 alelos, a classificação ficaria mais difícil para determinar quem são os intermediários. Enquanto o indivíduo negro seria AABBCCDD e o branco aabbccdd, como classificaríamos o indivíduo de genótipo AABBCCDd?

Até o momento, as classificações aceitas para a cor da pele humana possui 4 fenótipos básicos: negro, mulato escuro, mulato médio, mulato claro e branco.

O mesmo acontece para a cor dos olhos de humanos. Apesar de notarmos que a grande maioria da população possui olhos castanhos, a cor exata do tom de castanho varia muito. Assim como a variação nos tons de verde e de azul, apesar de ocorrerem em menor proporção.

No ser humano, acredita-se até que a inteligência é determinada pela herança quantitativa. Portanto, quanto mais inteligentes forem os pais, mais inteligentes os filhos tendem a ser. Isto, claro, com grande influência do ambiente. Ou seja, a criança deve ser motivada a estudar, a se interessar e a ser curiosa pelo aprendizado.

Em outros animais, exemplos de herança quantitativa são o número de ovos por ninhada em algumas aves e a produção de leite no gado. Em plantas, um dos exemplos é a cor das sementes no trigo. O pesquisador que descobriu sobre a herança quantitativa no trigo foi Nilsson-Ehle. Ele utilizou variedades que possuíam grãos vermelhos e outros brancos, e os cruzou. Do cruzamento da segunda geração surgiu uma variedade maior de cores das sementes, com tons de vermelho-escuro até o vermelho mais claro.

Veja mais

Diferenças entre herança qualitativa e quantitativa

Herança quantitativa:

  • Grande variação de fenótipos, variação contínua
  • Controle poligênico
  • Geralmente influenciado por fatores ambientais

Herança qualitativa:

  • Clara distinção entre os fenótipos
  • Efeito de um único gene
  • Geralmente não influenciado por fatores ambientais

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Publicações Relacionadas

Deixe seu Comentário

WebGo Content