Linguagem verbal e não-verbal – O que é? Exemplos e Linguagem Mista

As linguagens verbal e a não-verbal são bastante utilizadas no dia a dia, mas esse é um detalhe que costuma passar despercebido, principalmente pela comunicação ser algo natural ao ser humano.

E você sabe ao certo o que são esses tipos de linguagem? A seguir, no Gestão Educacional, explicamos os significados, damos exemplos de linguagem verbal e não-verbal e ajudamos a identificar a aplicação delas no cotidiano. Confira!

O que é linguagem verbal e não-verbal?

linguagem verbal e não verbal

Antes de tudo, é preciso entender o significado de linguagem: trata-se de um código utilizado para estabelecer uma comunicação, transmitindo ideias, informações, sentimentos, entre outros.

Portanto, tanto a linguagem verbal como a não-verbal são utilizadas para comunicar algo a um interlocutor. No entanto, não se engane, é somente nisso que elas se assemelham.

A linguagem verbal, por exemplo, utiliza palavras para estabelecer a comunicação, tanto na forma escrita como na oral. Já a linguagem não-verbal não é realizada com palavras, mas sim com gestos, símbolos, cores e sinais.

Então, quando precisar diferenciar esses dois tipos de linguagem, lembre-se da seguinte máxima: a verbal sempre comunica com palavras e a não-verbal com tudo o que não for palavra.

Exemplos de linguagem verbal e não-verbal

Ao nosso redor, existem inúmeros exemplos de gêneros textuais da linguagem verbal e não-verbal. Este artigo, por exemplo, é verbal porque se comunica com o leitor por palavras. Um episódio de sua série preferida também usa linguagem verbal.

A seguir, veja mais exemplos.

[CONFIRA TAMBÉM: O QUE SÃO GÊNEROS TEXTUAIS?]

1. Linguagem verbal

  • Embalagens de produtos;
  • Filmes;
  • Palestras;
  • Mensagens e e-mails;
  • Livros;
  • Poesias;
  • Prosas;
  • Sites;
  • Telefonemas;
  • Recados.

Quais os tipos de linguagem verbal?

Uma informação importante dentro dessa categoria é que a linguagem verbal costuma se dividir em outros dois subtipos.

Um deles é a formal, que se caracteriza por seguir a norma culta da língua portuguesa, ou seja, é gramaticalmente correta.

Nesse subtipo, ótimos exemplos de linguagem verbal formal são os livros de gramática, as obras literárias com influência clássica, como as parnasianas, e os livros de direito, por exemplo, os códigos penais e a constituição de um país.

O outro subtipo de linguagem verbal é a informal, também chamada de casual. Trata-se daquela utilizada no dia a dia, sem ter amarras com a norma culta e a gramática.

Nesse caso, o mais importante é passar a mensagem ao interlocutor e não falar exatamente como se prega na gramática da língua portuguesa.

Os melhores exemplos de linguagem verbal informal são as mensagens trocadas por aplicativos no celular, e-mails, telefonemas e conversas casuais realizadas no decorrer do dia.

2. Linguagem não-verbal

  • Bandeira;
  • Buzina;
  • Cores;
  • Desenhos;
  • Esculturas;
  • Etiquetas com símbolos de instruções de lavagem;
  • Figuras;
  • Gestos/mímica;
  • Imagens;
  • Logotipo;
  • Luzes;
  • Obras de arte;
  • Placas;
  • Semáforos.

A linguagem não-verbal costuma ser bastante utilizada quando se quer comunicar algo rapidamente. Também, é apropriada na interação com pessoas que não sabem ler, porque possibilita a compreensão da mensagem sem utilizar a leitura.

linguagem não verbal

É comum encontrar esse tipo de linguagem em áreas em que se quer chamar a atenção do interlocutor para algo, como para avançar e continuar o trajeto, proibir alguma atitude (como fumar ou falar alto), entre outros.

Qual a importância da linguagem mista?

Curiosamente, existe um outro tipo de linguagem, a mista, que mescla a verbal e a não-verbal.

Na prática, isso quer dizer que há o uso simultâneo de palavras e de sinais (entre outros códigos) para comunicar algo ao interlocutor.

Um exemplo clássico de linguagem mista é quando acenamos e chamamos alguém pelo nome ao mesmo tempo ou quando concordamos com um sim, ao mesmo tempo em que movimentamos a cabeça em sinal positivo.

Além desses exemplos de aplicação de linguagem mista, também existem outros muito recorrentes no dia a dia. Conheça, a seguir, quais são os mais utilizados:

  • Histórias em quadrinhos (mesclam figura e palavra);
  • Cartazes (seja um publicitário, empresarial, entre outros. Geralmente, trazem imagens e palavras);
  • Charges (utilizam desenho e texto para comunicação);
  • Vídeos com legenda;
  • Placas de sinalização com explicação textual.

Um detalhe importante: de maneira geral, a linguagem mista é utilizada quando se quer reforçar a mensagem a ser transmitida ao interlocutor ou simplesmente facilitar o entendimento do que se quer comunicar.

[CONFIRA TAMBÉM: COMO FAZER UMA BOA REDAÇÃO?]

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pós-graduanda em Negócios Digitais. Tem mais de 600 artigos publicados em sites dos mais variados nichos e quatro anos de experiência em marketing digital. Em seus trabalhos, busca usar da informação consciente como um instrumento de impacto positivo na sociedade.

6 comentários

  • Amei gostei pelo que ensinou

  • Adorei o site!!!!
    Explicações simples isso facilita.

  • Adorei! Simples e objetivo, além de abordar um conteúdo muito pertinente.

  • Adorei. Muito obrigada

  • Adorei,muito bom para trabalhos.
    Site muito bom,explicado,fácil entre outros.
    Parabéns.

  • Nossa adorei,realmente esse site explica de uma forma muito claro sobre o conteúdo que é requerido.

Deixe seu comentário