Macaco-aranha – Características, Comportamento, Habitat, Alimentação, Reprodução

Primatas são um grupo de animais muito interessante, do qual os seres humanos também pertencem. Por isso, muitos macacos possuem aparência e comportamentos muito semelhantes aos nossos. Por conta disso, esses seres são bastante utilizados para estudos de comportamento.

Conhecido como o macaco mais evoluído da América do Sul, o macaco-aranha (Ateles sp.) pertence à família Atelidae e é encontrado em florestas úmidas, desde o México até o centro do Brasil. Aqui, estes animais se distribuem pelos estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Pará e Mato Grosso.

A classificação desses primatas ainda é confusa. Dependendo do critério utilizado, há entre quatro a oito espécies de macaco-aranha. Algumas delas são: Ateles geoffrey, Ateles paniscus, Ateles belzebuth e Ateles fusciceps. Conheça maiores detalhes desses primatas abaixo, só aqui no Gestão Educacional!

Características físicas do macaco-aranha

O macaco-aranha é esguio e possui os membros compridos, por isso o nome de “aranha”. Pode pesar aproximadamente 6 quilos e medir entre 35 e 66 centímetros de comprimento (o macho é sempre maior e mais pesado que a fêmea). Sua cauda é mais longa que o corpo, além de muito peluda.

Dependendo da espécie, a coloração varia, podendo ser cinza, preta ou casto-avermelhado. A face pode ser da cor da pele ou preta com círculos brancos ao redor dos olhos. Uma outra variação é apresentada pelo Ateles marginatus, que apresenta uma mancha branca na testa.

Comportamento

Como a maioria dos primatas, esse macaco é mais ativo durante o dia, período no qual sai em busca de alimento.

Eles formam grupos de até 35 animais, mas se distribuem em grupos menores para procurar comida. Em geral, não descem das árvores, usando os membros longos e a cauda para se locomover de uma árvore a outra. A cauda também é utilizada para sustentação e equilíbrio.

Vocalização

Possuem um comportamento muito curioso de imitação de outros animais e outros sons. Quando se separam dos companheiros, se comunicam utilizando uma vocalização semelhando a relinchos de cavalo e longos gritos.

Comportamento de guerra

Ao lado dos humanos, a espécie de macaco-aranha Ateles geoffrey yucatanensis, encontrada em Yucatán, no México, é um dos raros animais que pratica um comportamento de guerra.

Esse comportamento é chamado de reide (em inglês), que significa ataque rápido. Ele é utilizado para brigar com grupos vizinhos por território. Os indivíduos, machos guerreiros, descem das árvores e caminham em fila indiana em direção ao inimigo.

Infanticídio

Outro comportamento presente em algumas espécies de macaco-aranha é o infanticídio. Machos adultos matam filhotes apenas do sexo masculino. Pesquisas sugerem que isso ocorra para diminuir a competição. Esse fato ajudaria a explicar o porquê de as populações de macaco-aranha possuírem muito mais fêmeas do que machos.

Habitat

Os macaco-aranha habitam majoritariamente áreas de florestas tropicais e de montanha, podendo também ocorrer em florestas subtropicais. Apesar de não serem muito flexíveis em relação ao habitat, podem ser raramente encontrados em bordas de florestas ou floresta degradada, sendo pouco tolerantes à perturbação ambiental.

A área de vida é estimada em 255 hectares.

Alimentação

A maior parte da dieta dos macaco-aranha é composta por frutas e complementada por insetos, brotos, folhas, mel, flores, lagartas, nozes e ovos de pássaros. Assim, são classificados como animais onívoros.

Reprodução

A maturação sexual desses macacos é tardia e a reprodução é lenta. Ocorre uma gestação a cada 2 ou 3 anos, que dura 7 meses. Cada gestação dá à luz a um filhote por vez. O filhote pesa aproximadamente 340 gramas e fica sob os cuidados da mãe durante um ano, sendo bastante dependente.

O sistema de acasalamento é poligâmico, no qual machos e fêmeas possuem mais de um parceiro sexual. A longevidade dos indivíduos ainda é desconhecida.

Curiosidades

Algumas espécies de macaco-aranha estão na lista de animais ameaçados. Apesar de sua ampla distribuição que favorece a permanência das populações, sua reprodução é lenta, intensificando as ameaças.

Dentre as maiores causas de mortalidade dessas espécies, destacam-se a caça intensa para alimentação, o desmatamento, a construção de estradas e de hidrelétricas.

Os macacos-aranha são muito temerosos ao homem, devido à caça. Quando são capturados por seres humanos, removem as flechas com as mãos e procuram estancar o sangramento, comportamento muito similar ao nosso. Além disso, quando humanos se aproximam, eles latem como cães e quebram galhos de árvores para arremessar.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content