Mico-leão-dourado – Características, Habitat, Alimentação, Reprodução, Curiosidades

O Brasil possui uma grande diversidade de primatas. Na família Callitrichidae, que abriga os saguis e micos, destacam-se as quatro espécies de mico-leão, pela exuberante beleza e importância ecológica: o mico-leão-da-cara-preta, o mico-leão-preto, o mico-leão-da-cara-dourada e o mico-leão-dourado.

Este último, cujo nome científico é Leontopithecus rosalia, é endêmico da Mata Atlântica. Isso significa que ele só é encontrado nesse bioma, do qual já foi considerado o símbolo da conservação. Infelizmente, sua população está praticamente dizimada, em função da destruição de seu habitat.

Atualmente, a população de mico-leão está restrita ao estado do Rio de Janeiro. No entanto, antigamente, a espécie ocorria até na costa do Espírito Santo. Por conta disso, grandes esforços de conservação têm sido realizados para tentar salvar a espécie da extinção, isso desde a década de 70.

Confira, abaixo, mais detalhes sobre a espécie endêmica do Brasil.

Características físicas do mico-leão-dourado

A característica mais notável do mico-leão-dourado e que é responsável pelo seu nome popular. Seus pelos são de cor dourada, que possui uma variação vermelho-dourado e igualmente deslumbrante. Seu porte é pequeno, atingindo aproximadamente 60cm de altura, mas possui uma cauda longa que possibilita movimentos ágeis.

Também contam com pelos arrepiados ao redor das orelhas, o que confere o aspecto “leonino”, e o rosto é marrom.

Comportamento

Como a maioria dos primatas, os micos são mais ativos durante o dia, usando a noite para descansar. São animais sociáveis e que formam grupos de dois a 11 indivíduos. Eles passam a maior parte do tempo em árvores e usam as quatro patas para correr, andar e saltar.

Para dormir, os micos procuram ocos de árvores durante a noite ou abrigos formados por cipós, bambuzais, bromélias, palmeiras ou sob as folhas de palmeiras vivas ou mortas. Esses animais podem ainda se abrigar em ninhos abandonados de aves ou de mamíferos.

Habitat

Os micos-leões-dourados abrigam áreas de floresta tropical, sendo encontrados exclusivamente na Mata Atlântica brasileira. Apesar do porte pequeno, precisam de extensas áreas de vida, por conta do tamanho do grupo, ocupando aproximadamente 110 hectares.

Alimentação

São animais onívoros. A dieta é composta, em sua maior parte, por frutos, insetos, pequenos vertebrados e ovos e, em menor parte, por néctar, flores e outras partes vegetais.

A presença de dedos longos e finos os permitem predar animais em aberturas de árvores e em bromélias. Um estudo demonstrou que os micos-leões podem também ingerir bananas provenientes de plantações comerciais que se localizam ao lado das florestas que habitam.

Reprodução

O período de reprodução do mico-leão-dourado vai de setembro a novembro e de janeiro a março, podendo se reproduzir uma ou duas vezes durante o ano. Em geral, cada gestação produz dois filhotes gêmeos, que nascem entre setembro e março, quando há grande disponibilidade de frutas e insetos.

Quando os filhotes nascem, ambos os pais ajudam na criação, havendo grande cuidado parental nessa espécie. O mico-leão-dourado pode atingir até 8 anos de idade.

Curiosidades

Infelizmente, o mico-leão-dourado está na lista de animais ameaçados de extinção desde os anos 70. A devastação da Mata Atlântica é a maior responsável pelo declínio populacional da espécie, que é muito sensível à mudança de habitat. Essa devastação é motivada principalmente pela agropecuária e pela extração de madeira.

Atualmente, os micos se encontram em apenas 20 fragmentos de Mata Atlântica e não chegam a 1000 indivíduos. Para sair da lista de espécies ameaçadas, eles precisam dobrar o número de indivíduos da população até 2025, o que necessitaria de uma área de 25 mil hectares de florestas.

As outras espécies de mico-leão também estão agora restritas a fragmentos de mata ou ainda em plantações adjacentes que possuem bromélias e outras árvores que esses animais conseguem utilizar como abrigo ou comida.

Dispersão de sementes

Um dos mais importantes papéis ecológicos do mico-leão-dourado é a dispersão de sementes. Apesar de serem animais onívoros, grande parte de sua dieta é composta por frutos. Assim, eles podem depositar sementes em locais mais distantes da árvore-mãe, quando defecam. Estudos relataram a presença de sementes em 80% das fezes de mico e que essas continham 40 espécies diferentes de árvores. Dessa forma, os micos são responsáveis pela manutenção e regeneração da Mata Atlântica, sendo essenciais para a sobrevivência dessa floresta.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content