Numerais coletivos – O que são? Tipos, Como usar e Exemplos!

Os numerais são uma classe de palavras responsável por indicar a quantidade exata de seres/objetos ou a posição deles em determinado conjunto. Os numerais mais famosos são os cardinais, os ordinais, os multiplicativos e os fracionários.

Há, entretanto, um tipo bastante peculiar, pouco tratado, chamado “numeral coletivo”. É justamente a respeito deste numeral que trataremos de forma completa neste artigo do Gestão Educacional. Confira!

O que são numerais?

Antes de compreendermos o que são numerais, propriamente ditos, é preciso entender o que são numerais, de forma geral.

Os numerais são uma classe de palavras responsável por indicar:

a) a quantidade exata de seres ou objetos;

b) a posição de alguma coisa ou alguma pessoa em alguma ordem de sucessão.

Confira o seguinte exemplo para compreender melhor:

(1) Quando eu estava na primeira série, havia apenas três meninos na minha turma.

Neste exemplo (1), o primeiro numeral em negrito, “primeira”, está indicando a posição que o sujeito ocupava na ordem/sequência “séries escolares”: ele não estava na segunda, terceira, quarta etc., mas sim “na primeira”.

Já o segundo numeral destacado, “três”, não está indicando uma posição, e sim o número exato de seres/objetos, nesse caso, o número exato de meninos na turma do sujeito: não era um nem dois, mas “três”.

Os numerais que indicam a posição de um elemento em uma sequência, como “primeira”, recebem o nome “numeral ordinal”. Já os que indicam o número exato de elementos, como “três”, recebem o nome “numeral cardinal”.

Há outros numerais convencionais: os numerais multiplicativos e os numerais fracionários. Outros dois, pouco tratados, são o numeral dual (formado pela palavra “ambos”, sendo muito raro de ser classificado assim) e os numerais coletivos. É deste último que trataremos a seguir.

O que são numerais coletivos?

Os numerais coletivos são um tipo especial de numerais. Eles são empregados para se indicar um conjunto de pessoas ou coisas, mas não de maneira imprecisa: os numerais coletivos indicam a quantidade exata de seres. Confira alguns exemplos:

  • Eu tenho apenas um par de meias!
  • Gostaria de comprar duas dúzias de ovos, por gentileza.
  • Não vejo meu pai há três décadas.

Perceba que os termos em negrito nos exemplos fazem referência a um conjunto de alguma coisa, indicando uma quantidade exata: “um par” de meias é o conjunto de duas meias; “duas dúzias” de ovos é o conjunto de vinte e quatro ovos; “três décadas” é o conjunto de trinta anos.

O que define um numeral como coletivo é justamente o fato de ele indicar de maneira exata a quantidade de seres/objetos/elementos no conjunto ao qual se refere.

Tipos de numerais coletivos

Os numerais coletivos podem ser classificados de acordo com o elemento que compõe o conjunto. Eles podem fazer referência:

  • A um conjunto de dias, como: semana (sete dias), novena (nove dias), quinzena (quinze dias), quarentena (quarenta dias) etc.;
  • A um conjunto de meses, como: bimestre (dois meses), trimestre (três meses), semestre (seis meses), ano (doze meses) etc.;
  • A um conjunto de anos, como: biênio (dois anos), triênio (três anos), década (dez anos), século (cem anos), milênio (mil anos) etc.;
  • A um conjunto de versos, como: dístico (dois versos), terceto (três versos), quadra (quatro versos), oitava (oito versos), décima (dez versos) etc.;
  • A uma determinada quantidade de seres/objetos, como: par (dois), trinca (três), quina (cinco), dezena (dez), dúzia (doze), quarteirão (vinte e cinco), centena (cem), milhar (mil) etc.

Numerais coletivos x substantivos coletivos

A diferença entre numeral coletivo e substantivo coletivo precisa estar bem clara: do contrário, é comum acabar confundindo ambos.

Como vimos, os numerais coletivos fazem referência à quantidade exatas de seres/objetos em um determinado conjunto.

Já os substantivos coletivos, por sua vez, embora também indiquem um conjunto de seres/objetos, o fazem de maneira genérica, sem especificar a quantidade exata.

Veja a comparação:

(2) Uma alcateia de lobos atacou a caravana! (Substantivo coletivo);

(3) Uma dúzia de lobos atacou a caravana! (Numeral coletivo).

Perceba que, em ambos os exemplos, se faz referência a um conjunto de lobos. Em (2), por se utilizar um substantivo coletivo, não se está fazendo referência a uma quantidade exata de lobos: sabe-se apenas que um determinado conjunto de lobos atacou a caravana.

Já em (3), o numeral coletivo especifica a quantidade exata de lobos que atacou a caravana: foram exatamente seis (uma dúzia).

Referências utilizadas neste conteúdo: CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo. Celso Cunha, Lindley Cintra. Rio de Janeiro: Lexikon, 2017.
Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Deixe seu comentário