Números imaginários – O que são? Conjunto, Operações e Exemplos

Com o tempo, matemáticos físicos e engenheiros passaram a precisar de um novo conjunto numérico para entender vários fenômenos da matemática. Foi assim que surgiram os primeiros trabalhos feitos por Girolamo Cardano, para a elaboração do conjunto dos números complexos, também chamados popularmente de números imaginários.

Leonhard Euler foi um matemático suíço que contribuiu para melhorar a simbologia dos números complexos, atribuindo i para substituir o número √-1. O alemão Carl F. Gauss impulsionou o uso dos números complexos, elaborando o teorema fundamental da álgebra e introduzindo algumas notações utilizadas até hoje.  A seguir, conheça mais sobre números imaginários e como utilizá-los.

O que são os números imaginários

Entre os conjuntos numéricos que já conhecemos, tínhamos inicialmente o conjunto dos números naturais, números inteiros, números racionais e irracionais.

Unindo o conjunto dos números racionais com os números irracionais, surgem os números reais R.

Vamos tentar achar a solução para o seguinte problema:

X² + 1 = 0

X² = -1

X = ±√-1

Sabemos que, se x ∈ R, então x² ≥ 0. Assim, essa equação não tem solução nos números reais, ou seja, não existe número real x elevado ao quadrado que resulte em –1.

Por isso, temos de estender o conjunto dos números reais para obter um conjunto chamado de números complexos (C).

Conjunto dos números imaginários

O conjunto dos números complexos é um conjunto do qual podemos extrair a raiz quadrada de um número negativo.

A notação que usamos para definir os números complexos z é a forma algébrica, também chamada de forma binomial: z = a + bi

Sendo a ∈ R e b ∈ R (pertencentes aos reais R). Observe que um número complexo escrito dessa forma tem duas partes: uma parte real e uma parte imaginária, como mostra a imagem abaixo:Números imagináriosi é a unidade imaginária, tal que i² = -1. É exatamente a existência disso que permite a existência da raiz de um número negativo nesse conjunto.

Por exemplo, se x ∈ C e x² = -1, então x = ±1i (-1 = (i²).1 = (1i)²).

Assim, conseguimos resolver o problema que observamos no começo!

Denominações para números imaginários:

  • Se um número complexo tem unidade imaginaria (b≠0), ele é chamado de imaginário;
  • Se b=0, temos que z = a, então z é um número real;
  • Se a = 0 e b≠0, temos que z = bi, então z é um imaginário puro.

Operações com números imaginários

Usando a forma algébrica que vimos acima, podemos realizar operações com números imaginários, basta aplicar a propriedade distributiva usada em multiplicação de binômios.

Veja os exemplos abaixo:

  • Adição: (2 + 3i) + (-3+4i) = (2-3) + (3i+4i) = -1+7i
  • Subtração: (1+i) – (3+2i) = (1-3) + (1i-2i) = -2 –i
  • Multiplicação: (1+2i) . (2-3i) = (1.2) + (1.(-3i)) + (2i.2) + (2i.(-2i)) = 2 – 3i + 4i -6i² = 8+i (lembre-se que i² = -1)
  • Divisão: a divisão de dois números complexos z1 e z2 é dada por:

Números imaginários

Conjugado, potência e igualdade de um número imaginário

O conjugado de um número complexo z = a + bi é dado por:Números imagináriosDois números complexos z = a + bi e w = c + di são iguais se, e somente se, a = c e b = d.

Potencias de i com expoentes inteiros podem assumir apenas 3 valores: i0=1i2=1i3=-i.

A partir disso, esses valores começam a se repetir. Portanto, para saber o resultado de i elevado a um número qualquer, faça: in=ip (p é o resto da divisão de n por 4).

Representação trigonométrica de um número imaginário

Podemos representar esse número complexo z por um par ordenado de números reais e assim representa-los geometricamente no plano cartesiano.

Assim, se z = a + bi é um número imaginário, podemos escrever que z = (a,b).  Esse par ordenado pode ser associado a um ponto P no plano cartesiano. Portanto, o ponto P tem coordenadas P (a, b).

O plano cartesiano no qual estão representados os números complexos é chamado de plano complexo ou plano Argand-Gauss.

Dizemos que o ponto P (a, b) é a imagem do número complexo a + bi.Números imagináriosEsse plano possui um eixo real (Re) e um eixo imaginário (Im). Para cada número complexo, existe um único ponto no plano.

Módulo e forma trigonométrica de um número imaginário

Dado um número complexo z = a+bi, dizemos que o seu módulo é calculado por:Números imagináriosEsse módulo é também chamado de argumento de z.

Para encontrarmos a forma trigonométrica de um número complexo, utilizamos a seguinte fórmula:Números imagináriosSendo:

  • 0 ≤ θ ≥ 2π
  • cos θ = a \ |z| (a dividido pelo módulo de z)
  • Sen θ = b / |z|

Multiplicação de números imaginários na forma trigonométrica

Sendo os números imaginários z1 e z2 representamos na forma trigonométrica da seguinte maneira:Números imaginários

O produto dos números imaginários z1 e z2 é dado por:Números imaginários

Potenciação de números imaginários na forma trigonométrica

A potência zn (sendo n um número real positivo) é dada pela fórmula de Moivre:Números imagináriosPara n = 0, z0 = 1.

Raízes enésimas de um número imaginário na forma trigonométrica

A raiz enésima de um número complexo é chamada de ω tal que ωn  = z. Para obter essas raízes, usamos a segunda fórmula de Moivre, dada por:Números imagináriosÉ possível obter n-1 raízes distintas desconhecidas de um número complexo. Para isso, usamos: K = 0, 1, 2, … , (n-1).

Após k = n-1, os valores começam a se repetir.

Natália Alves

Graduanda em licenciatura e bacharelado em Matemática pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content