Orações coordenadas – O que são? Classificações e Exemplos de uso

Ao estudarmos o período composto, descobrimos a presença de dois tipos de orações: orações subordinadas e orações coordenadas.

Neste artigo completo do Gestão Educacional, veremos o que são orações coordenadas, qual a relação delas com o período composto, como as orações coordenadas se relacionam entre si, além de como elas são classificadas.

O período e suas divisões

Antes de vermos propriamente o que são orações coordenadas, é preciso compreender o que é o período e o que ele tem a ver com a história.

O período nada mais é do que a frase composta por uma ou mais orações, possuindo um sentido completo. O período pode ser simples ou composto.

O período é simples quando é formado por apenas uma oração. Por exemplo:

  • Amanda abriu a janela. (período simples)

Por outro lado, o período é composto quando é formado por duas ou mais orações. Por exemplo:

  • Amanda abriu a janela | e deixou o sol entrar em seu quarto. (período composto)

No estudo das orações coordenadas, o que nos importa é o período composto.

Porém, caso deseje se aprofundar no estudo do período, recomendamos este nosso artigo a respeito do período simples e composto.

O que são orações coordenadas?

O período composto, formado por duas ou mais orações, pode ser estruturado de duas maneiras:

  • A partir de uma oração principal e orações subordinadas a essa oração principal
  • A partir de orações independentes

Ao primeiro modo de estruturação do período damos o nome período composto por subordinação (pois há uma oração principal e uma ou mais orações subordinadas a ela). Frequentemente, essas orações subordinadas são ligadas umas às outras através de preposições, que subordinam uma oração à outra.

Já ao segundo damos o nome período composto por coordenação. Isso porque as orações que formam o período composto por coordenação são independentes entre si, não sendo umas subordinadas às outras. Elas são apenas coordenadas, ou seja, encadeadas, uma após a outra, colocadas uma ao lado da outra ou ligadas através de conjunções coordenativas.

Como as orações coordenadas se relacionam?

Sendo gramaticalmente independentes, as orações coordenadas podem estar, como mencionamos:

  • Justapostas, ou seja, uma ao lado da outra, sem a presença de conectivos que as liguem, recebendo o nome de orações coordenadas assindéticas
  • Ligadas por uma conjunção coordenativa, recebendo o nome de orações coordenadas sindéticas

Logo, vejamos um exemplo de cada:

  • Acorde, | levante-se, | lute por um dia melhor. (coordenadas assindéticas)
  • Gabriel levantou-se | e batalhou por um dia melhor. (coordenadas sindéticas)

Como as orações coordenadas são classificadas?

Como vimos, há duas classificações básicas para as orações coordenadas: elas podem ser assindéticas, quando não são ligadas através de conjunções coordenativas; ou podem ser sindéticas, quando são, sim, ligadas por conjunções coordenativas.

Orações coordenadas assindéticas

Quando elas não são ligadas por conjunções coordenativas, dá-se o nome apenas de orações coordenadas assindéticas. Portanto, não há nenhuma subdivisão delas.

Confira alguns exemplos de orações coordenadas assindéticas:

  • Cheguei, vi, venci
  • Começou um novo mundo, iniciou-se uma nova vida, estourou uma nova revolução.
  • A comida está cara, a sobrevivência tornou-se difícil.

Orações coordenadas sindéticas

Por outro lado, as orações coordenadas sindéticas são aquelas que se conectam através de conjunções coordenativas. Nesse caso, elas dividem-se em subtipos, que recebem o nome de acordo com o tipo de conjunção que a inicia.

As orações coordenadas sindéticas podem ser:

Oração coordenada sindética aditiva

Ela recebe esse nome quando a sua conjunção coordenativa é do tipo aditiva, ou seja, que indica ideia de acréscimo de informações ao período. Confira alguns exemplos:

  • Catarina lê e escreve muito bem.
  • Marcos não estuda nem
  • Mônica não só trabalha como também

Outros exemplos de conjunções coordenativas aditivas são: mas também; mas ainda; bem como etc.

Oração coordenada sindética adversativa

Já a oração coordenada sindética adversativa recebe esse nome porque a conjunção coordenativa utilizada indica uma ideia de oposição, contraste ou compensação. Veja:

  • Ele não estuda, mas ainda assim vai bem na prova.
  • Chico não concluiu o ensino fundamental, porém lê e escreve muito bem.

Outros exemplos de conjunções coordenativas adversativas são: contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante etc.

Oração coordenada sindética alternativa

Porém, caso a conjunção coordenativa indique ideia de alternância ou escolha, a oração recebe o nome de coordenada sindética alternativa. Confira os exemplos:

  • Devo comprar um videogame ou guardar dinheiro para o futuro?
  • Ou eu estou enganado ou a Marcela não é uma boa pessoa.
  • Quer eu tente, quer eu não tente, o resultado é sempre o mesmo.

Outros exemplos de conjunções coordenativas alternativas são: ora… ora; já… já etc.

Oração coordenada sindética conclusiva

Como o nome sugere, nesse tipo de oração, a conjunção coordenativa indica uma relação de conclusão, em que a segunda conclui a ideia apresentada na primeira. Por exemplo:

  • Estou em casa, logo você pode vir me visitar.
  • Terminei meu relacionamento, por isso estou solteira.
  • Não sou bem vindo aqui, portanto irei embora.

Outros exemplos de conjunções coordenadas sindéticas conclusivas são: pois, então, assim etc.

Oração coordenada sindética explicativa

Por fim, as orações coordenadas sindéticas explicativas são aquelas que possuem conjunções coordenativas explicativas, ou seja, que introduzem orações que explicam as ideias contidas nas primeiras. Vejamos exemplos:

  • Deixe seu celular desligado, porque é proibido usá-lo aqui.
  • Irei almoçar, pois estou com muita fome.
  • Apague seu cigarro, que é proibido fumar aqui dentro.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content