Stalin – Quem foi? Biografia e Principais Feitos

Josef Stalin foi um político russo de origem georgiana, um dos principais líderes da Revolução Russa de 1917, e líder da União Soviética entre os anos de 1924 e 1953. Foi uma das figuras mais controversas do século XX.

Infância e adolescência

Josef Vissariónovitch Djugashvili nasceu na cidade de Gori, Império Russo (atualmente Geórgia), em 1878. O nome Stalin (que significa homem de aço, em russo) só seria adotado muito tempo depois.

De origem humilde, passou por muitas dificuldades econômicas quando criança. Seu pai era sapateiro e dono da própria oficina, fato que não impediu a família de contrair altas dívidas. Com isso, o pai se tornou alcoólatra, e constantemente agredia a esposa e o filho.

Para se livrar das agressões, Josef e sua mãe fugiram de casa. Sua mãe trabalhava como faxineira e, graças à caridade de alguns conhecidos, Stalin conseguiu uma vaga em na escola da igreja da cidade.

Embora fosse um bom aluno, a infância difícil mexeu bastante com o pequeno Josef. Ele se tornou um jovem violento, e constantemente estava envolvido em brigas e confusões. Foi nessa época que Stalin teve contato com as obras de Karl Marx, que tiveram grande impacto sobre ele.

Entrada na política

Em novembro de 1899, entrou para o Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR), um partido de orientação Marxista, fundado no ano anterior. Porém, Stalin já era conhecido da polícia secreta do Império, por sua militância revolucionária, que passou a persegui-lo. Após várias tentativas frustradas, Stalin finalmente foi preso em 1902, e condenado a um exílio de três anos na Sibéria.

Quando retornou da Sibéria, Stalin encontrou o partido dividido entre os bolcheviques, seguidores das ideias de Lênin, e os mencheviques, seguidos de Julius Martov. Stalin optou por se juntar ao grupo de Lênin. Os dois se tornaram grandes amigos, e Stalin continuou crescendo em importância dentro do partido.

Stalin continuou sendo perseguido pelas autoridades por conta de suas atividades políticas que, em muitos casos, se tornaram violentas. Em 1913, foi preso novamente, sendo condenado novamente ao exílio na Sibéria. Ele estava lá quando teve início a Primeira Guerra Mundial. Dois anos depois, foi convocado pelo exército, mas, por conta de um problema no braço, não tinha condições de servir. No ano seguinte, estoura a Revolução Russa.

Revolução Russa

A grande insatisfação com o governo do Czar Nicolau II se tornou insustentável com a Primeira Guerra e os custos (tanto financeiros quanto humanos) gerados pela participação do país no conflito.

A Revolução se dividiu em duas fases:

  • Revolução de fevereiro, marcada pela queda do regime monárquico e instauração de uma república de um governo provisório;
  • Revolução de outubro, com a tomada do poder pelos bolcheviques, que derrubaram o governo provisório e retiraram o país da guerra.

Lenin se tornou o líder do novo governo, posição que ocupou até sua morte, em 1923. Durante o governo de Lenin, Stalin ascendeu ainda mais em importância dentro do partido, agora já chamado Partido Comunista, se sobrepondo às demais lideranças. Dessa forma, Stalin atingiu o poder no novo país emergido da revolução: a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Stalin no poder

O governo de Stalin foi marcado pela centralização política e pela perseguição (e eliminação) de seus inimigos e de qualquer um que pudesse representar alguma ameaça ao sistema. Seu grande adversário nessa época foi Leon Trotsky, que teve de fugir do país, tornando-se um grande crítico do governo stalinista. Esse foi assassinado anos depois em seu exílio no México.

Stalin expulsou do partido e do exército soviético todos os seus potenciais inimigos, transformando seu governo em uma verdadeira ditadura. Ao mesmo tempo, impôs uma industrialização intensiva e a coletivização da agricultura, o que gerou uma reorganização social, fazendo a União Soviética crescer paulatinamente, assumindo o caráter de superpotência no mundo e criando um império proporcional ao Antigo Império Russo.

Segunda Guerra e início da Guerra Fria

A Segunda Guerra Mundial opôs soviéticos e nazistas em um confronto sangrento ao longo dos quatro últimos anos de guerra. Após uma breve aliança marcada pelo Pacto Ribbentrop-Molotov, a Rússia foi atacada pela Alemanha, em 1941. 

De fato, a Rússia aguentou praticamente sozinha todo o esforço de guerra contra os nazistas na Europa, entre 1942 e 1944, tendo milhões de baixas. Somente a invasão da Normandia pelos aliados trouxe um respiro para as tropas soviéticas.

Com o fim da guerra, Estados Unidos e Rússia emergem como as grandes vencedoras do conflito, tornando-se superpotências que defendiam visões de mundo totalmente opostas e que, portanto, deveriam ser combatidas. Era o início da Guerra Fria.

Legado

Stalin morreu em março de 1953, vítima de uma hemorragia cerebral. Muito se discute se sua morte foi natural ou provocada por envenenamento, mas nada foi provado até hoje.

A imagem de Stalin que ficou foi a de um grande ditador, responsável por milhares de mortes ao longo de seu governo. De fato, seu poder foi marcado pela dura repressão aos possíveis inimigos. O número exato de mortes, provavelmente, nunca será conhecido. O próprio Nikita Kruschev, seu sucessor no comando da União Soviética, denunciou os crimes de Stalin. Por outro lado, e apesar disso, Stalin é considerado, na Rússia, como uma das figuras mais populares e importantes da história do país.

Referências utilizadas neste conteúdo: Bortulucce, Vanessa Beatriz . A arte dos regimes totalitários do século XX. Anablume. 2008.Hobsbawn, Eric J. A Era dos Extremos. Paz e Terra. 2012
Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Deixe seu comentário