Urso polar – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

Mamíferos são animais com os quais os humanos possuem grande afinidade e respeito, por compartilharmos do mesmo grupo. Ursos polares (Ursus maritimus) são um exemplo clássico utilizado para chamar a atenção e simpatia das pessoas. Esses animais, que são também conhecidos como urso branco, urso do mar ou, ainda, urso do gelo, são o símbolo da importância sobre as mudanças climáticas e como elas afetam a biodiversidade.

Os ursos polares pertencem à família Ursidae e são encontrados na região Antártica. São considerados a maior e mais perigosa espécie de carnívoros terrestres. Além disso, os indivíduos adultos não possuem caçadores naturais, apesar de os filhotes serem consumidos por lobos e de poderem ser caçados por humanos durante toda a vida.

Infelizmente, desde 2008, esta espécie está classificada como ‘vulnerável à extinção – VU ’ pela IUCN (International Organization for Conservation of Nature).

Características físicas

Ursos polares são mamíferos de grande porte. Eles possuem uma camada de gordura sob o pelo que funciona como um isolante térmico. A pelagem desses animais é branca e funciona como um repelente de água para proteção contra a baixa temperatura do ar e da água da Antártica.

Essa espécie possui dimorfismo sexual, sendo os machos muito maiores que as fêmeas. O seu peso corporal varia entre 410 e 720 quilos e pode atingir 2,5 metros de comprimento.

Esses animais possuem um pescoço longilíneo e uma cabeça pequena quando comparada ao corpo. As orelhas são pequenas e arredondadas e a cauda é curta, variando entre 7 e 12 centímetros de comprimento.  As patas são peludas para protege-los do solo gelado e as garras servem para tração, cavar o gelo e matar presas.

Comportamento

São animais solitários e gastam mais de 50% do tempo caçando, pois suas presas são muito ágeis, como é o caso das focas e dos peixes. Para caçar, eles preparam uma emboscada próxima aos locais onde as focas saem para respirar. São também bons nadadores, conseguindo nadar por mais de 9 km/h.

Habitat

Os ursos polares habitam o gelo do mar da Antártica.

Alimentação

Os ursos polares são carnívoros oportunistas. Além de caçarem as presas, eles também podem se alimentar de animais já mortos, por exemplo, baleias.

A maior parte da dieta é composta por focas e também outros membros dos Pinepídeos, como leões marinhos. Eles podem também consumir peixes.

Os ursos polares precisam gastar grande parte do dia caçando, já que a cada 10 tentativas conseguem capturar uma ou duas focas, dependendo da época do ano.

Reprodução

O período reprodutivo dessa espécie ocorre na primavera, e o período gestacional dura entre 195 e 265 dias. Em cada gestação nascem entre 1 e 4 filhotes. O nascimento ocorre durante o inverno, dentro de tocas no gelo.

Quando nascem, os filhotes possuem cerca de 1 quilo. Infelizmente, se a época do ano não está boa para encontrar alimento, os recém-nascidos podem morrer de fome ou ainda serem mortos por outros machos adultos. Assim, as fêmeas de ursos polares são extremamente defensoras dos seus filhotes quando há machos por perto. Os filhotes permanecem com as mães até atingirem a maturidade sexual.

As fêmeas conseguem se reproduzir a partir dos 8 anos de idade e podem engravidar a cada 2 ou 4 anos, caracterizando um longo ciclo reprodutivo. Os machos também atingem a maturidade sexual por volta dos 8 anos.

A expectativa de vida para esses animais é de mais de 35 anos.

Curiosidades

Infelizmente, os seres humanos são os responsáveis pela morte dessa espécie pela caça. Habitantes locais da Antártica consomem a gordura, a carne e os tendões desses animais.

Além disso, o crescente problema das mudanças climáticas a partir do século XXI tem causado a morte de inúmeros indivíduos. O aquecimento da temperatura global causa o derretimento do gelo, essencial para a sobrevivência das presas desses animais e deles mesmos. Além disso, o derretimento das calotas polares resulta na fragmentação da espécie, impedindo que ela consiga se locomover para encontrar outros indivíduos para procriação, intensificando o declínio populacional.

Para agravar a situação, como já mencionamos, essa espécie apresenta um longo período reprodutivo, o que dificulta ainda mais a recuperação da população. O instituto U.S. Geological Survey estima que a perda de habitat pode levar à redução de 2/3 da população de ursos polares até 2050.

Referências utilizadas neste conteúdo:

https://www.worldwildlife.org/species/polar-bear

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content