Diversidade Cultural – O que é? Tipos, Importância e Exemplos

A cultura é um processo que se constrói historicamente e compõe parte importante da vida de uma sociedade. Diante disso, a diversidade cultural se coloca como uma composição de várias culturas que acaba até mesmo forjando novos elementos culturais, a partir das relações sociais desenvolvidas em determinados locais, regiões e países.

Neste artigo, você compreenderá melhor como se dá o conceito de diversidade cultural e a cultura, entenderá os tipos de cultura que se diferenciam entre públicos e também conhecerá alguns exemplos de diversidade cultural no Brasil. Só aqui, no Gestão Educacional.

Tipos de cultura

Para podermos tratar de diversidade cultural, é necessário apresentar os tipos de cultura existentes:

Cultura erudita

Esta é aprendida e desenvolvida nos ambientes acadêmicos, a partir de muita leitura, estudo e pesquisa. Ou seja, para que a cultura erudita seja produzida, é fundamental que se tenha um grande conhecimento a respeito do assunto. Entre os exemplos, podemos citar a música clássica, uma produção que exige uma complexidade em sua feitura.

Cultura popular

Aqui, temos o conjunto dos valores tradicionais de uma população que identifica um povo de um certo território. Ou seja, é a cultura produzida por pessoas anônimas, de maneira coletiva e costuma ser expressa de maneira artística, como em danças, festas folclóricas, carnaval, capoeira, artesanato, cantigas de roda etc.

Cultura de massa

Essa cultura é elaborada e transmitida pelos meios de comunicação de massa, como televisão, rádio, internet, jornais, revistas, e é difundida a uma enorme quantidade de pessoas. Por visar grandes parcelas da população, esse tipo de cultura faz produtos mais homogêneos e padronizados, de consumo imediato.

Em muitos casos, a cultura de massa absorve elementos da cultura popular e da erudita para oferecer ao grande público um conteúdo mais acessível. Entre os exemplos, temos programas de televisão, livros de autoajuda, alguns romances e algumas músicas, por exemplo rock, pop e pagode.

Importância da diversidade cultural

Com esse caldo cultural completo, a diversidade representa a variedade de culturas distintas produzidas pelos homens, sejam vários tipos de culturas populares, misturadas com as de massa, e até mesmo as eruditas. E como a cultura se transforma de lugar para lugar e também de tempos em tempos, a humanidade oferece uma grande quantidade de elementos culturais que enriquecem a nossa civilização.

Esse cenário é visto de maneira salutar pela própria ONU (Organização das Nações Unidas), que, por meio da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), emitiu uma Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural, que reforça a importância dessa variedade, afirmando, inclusive, que se trata de um patrimônio da humanidade:

“Essa diversidade manifesta-se na originalidade e na pluralidade das identidades que caracterizam os grupos e as sociedades que compõem a humanidade. Fonte de intercâmbios, de inovação e de criatividade, a diversidade cultural é tão necessária para o género humano como a diversidade biológica o é para a natureza. Neste sentido, constitui o património comum da humanidade e deve ser reconhecida e consolidada em benefício das gerações presentes e futuras”, determina o artigo 2º do documento da UNESCO, de 2001.

Exemplos de diversidade cultural no Brasil

Pelo seu tamanho e pelo grande contingente populacional, o Brasil apresenta uma vasta coleção de tradições e costumes distintos, revelando uma enorme gama de diversidade cultural, com características próprias de cada região. Essa riqueza brasileira oferece produtos tão díspares e peculiares entre si num mesmo país, como apresentamos a seguir, dividido por regiões:

Norte

As festas populares do Círio de Nazaré e do Festival de Parintins (a maior festa de boi-bumbá do Brasil) são algumas das manifestações culturais características da região. Com grande influência indígena, a culinária local oferece uma variedade enorme de pratos, baseados em peixe e mandioca, casos do pato no tucupi, do tacacá e do pirarucu na casaca.

Nordeste

As danças e as festas marcam a diversidade cultural do Nordeste, graças a manifestação como Carnaval, ciranda, maracatu, capoeira e muitos outros. O artesanato de rendas e a culinária também aportam uma vasta riqueza cultural do país. Na alimentação, vale destacar acarajé, sarapatel, buchada de bode, bolo de fubá cozido, tapioca etc.

Centro-Oeste

 A cozinha desta região mescla a culinária indígena com a paulista e a mineira. Pequi é um fruto típico de Goiás, com o qual podem ser feitos diversos pratos, como a galinhada ou o arroz com pequi. Tem também a pamonha, a guariroba, o empadão goiano, entre outros.

As manifestações culturais são diversas: por exemplo, nos estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul ocorre o cururu; em Goiás, acontecem as cavalhadas e a procissão do fogaréu.

Sudeste

As festas folclóricas e religiosas marcam a cultura do Sudeste, casos da Festa do Divino, das festas dos santos padroeiros e da peregrinação religiosa à Basílica de Aparecida na cidade paulista de mesmo nome. Outros festejos são: a congada e as cavalhadas em Minas Gerais, além do peão de boiadeiro, do Carnaval e do bumba meu boi. A comida é deliciosa e variada: se destacam o queijo e seus produtos variados, o tutu de feijão, o feijão tropeiro, a feijoada, a moqueca capixaba, o pirão etc.

Sul

Com uma mistura de imigrantes italianos, alemães, portugueses e espanhóis, há festas bem específicas, caso da Oktoberfest em Blumenau (SC), da festa da uva em diversas cidades gaúchas, além do pau de fita e da congada. Na culinária, há o famoso churrasco gaúcho, mas também pode-se citar o barreado paranaense e o camarão e o pirão de peixe catarinenses.

Deixe seu comentário