Formigas – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

As formigas pertencem à família Formicidae, ordem Hymenoptera e classe dos artrópodes, os seres mais diversos do reino animal. São aproximadamente 10 mil espécies de formigas conhecidas atualmente, apresentando uma relação social bastante complexa que instiga os pesquisadores.

Apesar de ocorrerem em qualquer lugar, elas são mais abundantes e diversas em regiões de alta temperatura. Assim, apresentam variadas características peculiares, que mencionaremos mais abaixo. Confira!

Características físicas das formigas

As formigas são seres pequenos quando comparados aos humanos, porém apresentam grande variação de tamanho, entre 2 a 25 centímetros de comprimento. Como são artrópodes, o corpo é formado por seguimentos. O primeiro seguimento corresponde à cabeça, sendo este maior que o restante dos seguimentos. Em seguida, são caracterizadas por um abdômen delgado e oval que fica ligado ao tórax por uma cintura. Pela cintura saem 3 pares de pernas que são característicos dos insetos.

Na cabeça está localizada um par de antenas acotoveladas. Há também dois pares de mandíbulas, as externas, usadas para carregar objetos, como alimento, e para cavar, e as internas, empregadas na mastigação.

No final do abdômen, algumas espécies podem apresentar um ferrão com o qual envenenam suas presas ou se defendem.

Apenas as rainhas e os machos têm asas e a coloração desses animais pode variar entre o marrom, vermelho, amarelo e preto, com algumas misturas entre elas. Além disso, algumas espécies apresentam partes do corpo com coloração brilhante.

Comportamento

As formigas são principalmente conhecidas pelo seu comportamento social, que é bastante complexo. Algumas espécies, por exemplo, podem fazer outras se tornarem suas “escravas”.

Dentro dos ninhos, a sociedade é geralmente constituída por três castas: as rainhas, os machos e as operárias. As primeiras são as que comandam a colônia e se reproduzem. As últimas não possuem asas e nunca se reproduzem, sendo que sua função é buscar comida, cuidar das larvas das rainhas e trabalhar no ninho, defendendo a colônia.

A única função dos machos é reproduzir e, frequentemente, morrer após a copulação. Algumas espécies podem também habitar outros ninhos, como parasitas. Nesses casos, a larva parasite é alimentada e cuidada pelas operárias da outra espécie.

Habitat

Os ninhos das formigas podem ser encontrados tanto no solo, quanto embaixo do solo, ou em árvores, pendurados em galhos. Os ninhos podem ser construídos com terra, areia, madeira, folhas e até adereços, como penas ou fezes de animais.

Elas podem ser encontradas dentro e fora de casas e habitar climas quentes e frios.

Alimentação

As formigas são animais que podem ser herbívoros, onívoros ou carnívoros, dependendo da espécie. A dieta pode ser composta por néctar, sementes, fungos e outros insetos. Algumas espécies, no entanto, predam animais maiores, como répteis, aves e até pequenos mamíferos.

A espécie (Allomerus decemarticulatus) da Amazônia constrói armadilhas extensas com fibras de plantas. Essas armadilhas possuem diversos buracos que prendem os insetos quando eles esbarram na estrutura. Para abrir as armadilhas, as formigas usam as mandíbulas.

Reprodução

O ciclo de vida das formigas é basicamente constituído por quatro estágios: ovo, larva, pupa e adulto. Essa transformação dura entre 8 e 10 semanas.

Dentro da colônia, somente as rainhas se reproduzem e colocam ovos. Em certa época do ano, as espécies produzem machos por partenogênese e ambos os sexos saem do ninho para copular. Após a copulação, o macho morre e a fêmea coloca os ovos fertilizados no ninho. As formigas não realizam cuidado parental. São as operárias que alimentam e protegem as larvas dentro do ninho.

Curiosidades

Algumas espécies de formigas podem se tornar pestes, principalmente as que são exóticas. Um exemplo é a formiga-de-fogo (Solenopsis invicta). Essa espécie foi introduzida da América do Sul para o Alabama (Estados Unidos) durante meados da década de 70. Seu ferrão injeta um veneno extremamente doloroso, sendo considerada uma peste na região.

Outra espécie que se tornou peste é a Anoplolepis gracilipes, conhecida como formiga louca amarela. Ela foi introduzida na Christima’s Islands, na Austrália, durante o século XX. Essa espécie constrói colônias enormes e é prejudicial para a fauna nativa, caso dos caranguejos vermelhos que são expulsos de suas tocas pelas formigas ou ainda consumidos por elas durante a migração anual.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content