Judaísmo – História, Livros, Fundamentos, Símbolos e Datas Festivas

Judaísmo é uma religião muito antiga, com mais de quatro mil anos de história. É monoteísta, surgida no Oriente Médio entre o povo hebreu, e teve forte influência tanto no Cristianismo quanto no Islamismo.

História do judaísmo

A tradição judaica aponta para Abraão como um defensor do monoteísmo em um momento em que era comum a crença em vários deuses. Abraão teria respondido a uma orientação de Yaveh para conduzir sua família para a Terra Prometida, que seria habitada pelos seus descendentes, o povo escolhido por Deus. Abraão é considerado o primeiro Patriarca bíblico.

Judaísmo

A aliança entre Deus e os hebreus se fortaleceu com Moisés que, obedecendo aos seus pedidos, libertou os judeus de seu cativeiro no Egito, levando-os para Canaã. No caminho, receberia, no alto do Monte Horebe, as Tábuas dos Dez Mandamentos.

Uma vez conquistada Canaã, o povo judeu se espalhou pela região, bem como sua religião, até a conquista babilônica no século VI a.C., quando boa parte do povo judeu foi levada para a Babilônia para, mais uma vez, ser escravizada.

Ciro, rei da Pérsia, liberta os judeus em 537 a.C., mas a independência duraria pouco. Canaã cairia sob domínio de Alexandre, o Grande, e depois, dos romanos.

Diáspora

Entre 66 e 73 d.C., uma grande rebelião contra a dominação romana resultou na destruição do Templo de Jerusalém, e na dispersão dos judeus pelo mundo, um fato conhecido como a Segunda Diáspora.

A partir daí, os judeus vão se espalhar por Ásia e Europa e, posteriormente, América, levando consigo seus costumes, sua cultura e sua religião.

Judaísmo

Inquisição

Por todo lugar por onde passaram, os judeus foram de alguma forma perseguidos, sobretudo na Europa medieval. Essa perseguição foi mais ou menos intensa, de acordo com a época ou o local, mas nunca deixou de existir.

Um dos eventos mais significativos foi a Inquisição, que ocorreu entre os séculos XI e XIX, na qual muitos judeus foram torturados e sofreram conversões forçadas.

Holocausto

Por fim, a expressão máxima do antissemitismo foi o Holocausto, a tentativa de extermínio do povo judeu que vivia na Europa, por parte do governo nazista, resultando na morte de milhões de judeus nos campos de concentração.

Por conta da perseguição histórica, a ONU reconheceu a frágil situação do povo judeu, trabalhando para a criação, em 1948, do Estado de Israel.

Judaísmo

Livros sagrados

O judaísmo possui diversos livros sagrados, dos quais podemos considerar como principais:

  • Torá: também conhecido como Pentateuco, é a literatura mais importante, contendo as histórias sobre a origem do mundo e do povo hebreu, além dos 10 mandamentos;
  • Talmude: é uma coletânea dos textos sagrados, contendo as discussões a respeito das leis éticas e dos costumes;
  • Tanakh: é a coleção de textos que serviu como base para a criação do Antigo Testamento.

Fundamentos do judaísmo

Os judeus acreditam em um Deus único, onipotente e onisciente, Yaveh, que escolheu os hebreus como povo eleito. Não é permitido no judaísmo nenhum tipo de idolatria.

Os livros sagrados descrevem uma série de leis e recomendações as quais todo judeu deve seguir. Os cultos judaicos acontecem na Sinagoga, sob orientação de um rabino, um sacerdote com profundo conhecimento dos textos sagrados.

Entre os principais rituais do judaísmo estão a circuncisão masculina, que acontece após alguns dias de vida dos bebês, e o Bar Mitzvha (Bat Mitzvha para meninas), que representa o início da vida adulta, por volta dos 12 anos.

O judaísmo não é uma religião homogênea, apresentando três vertentes principais:

  • Judaísmo Ortodoxo: acredita que a lei judaica é de origem divina, devendo ser seguida rigorosamente;
  • Judaísmo Conservador: segue a lei, mas acredita que a religião pode (e deve) se adaptar a novas condições;
  • Judaísmo Reformista: acredita que a lei deve ser entendida como uma diretriz geral, e não como uma obrigação.

Alguns símbolos judaicos

Judaísmo

Estrela de davi

Um dos principais símbolos do judaísmo, presente na bandeira de Israel, a Estrela é um símbolo da realeza de Davi, constituída de dois triângulos sobrepostos, representando duas das três letras do nome Davi.

Menorá

A menorá é um candelabro de sete braços, que simboliza as chamas do arbusto que Moisés viu no Monte Sinai.

Kipá

Uma das principais vestimentas utilizadas pelos judeus, o Kipá é uma espécie de chapéu símbolo de temor a Deus.

Principais datas

  • Pessach: páscoa judaica, celebrando a libertação dos hebreus do cativeiro no Egito;
  • Rosh Hashaná: é o ano novo judaico. Nele, os judeus celebram o ano 5780, que começa em 29 de setembro;
  • Yom Kippur: o Dia do Perdão.

O judaísmo não é uma religião proselitista, ou seja, não tem a intenção de converter pessoas de outras religiões, embora esteja aberto a qualquer um. Isso explica o baixo número de praticantes no mundo, aproximadamente 15 milhões pessoas.

Por conta da ligação histórica e étnica, o judaísmo normalmente é difundido entre pessoas e comunidades de origem judaica.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content