Anita Malfatti – Quem foi? Biografia e Principais Obras

Anita Malfatti foi uma das mais importantes e renomadas pintoras brasileiras. É um dos grandes nomes do modernismo brasileiro e do expressionismo.

Mas, você conhece a vida dessa mulher maravilhosa? Que tal saber um pouco mais? Continue lendo e entenda detalhes dessa brilhante artista, só aqui no Gestão Educacional!

Nascimento e primeiros anos

Anita Malfatti

Anita Catarina Malfatti, mais conhecida como Anita Malfatti, nasceu em 2 de dezembro de 1889, em São Paulo, capital.  Seus pais foram Samuel Malfatti, engenheiro italiano, e a norte-americana Eleonora Elizabeth Krug, mais conhecida como “Betty”.

Anita nasceu com uma atrofia no braço e na mão direita, problema que carregou pelo restante da vida, por mais que tenha sido levada pelo pai à Itália, a fim de tentar tratar o problema, mas sem sucesso. Isso, entretanto, não foi empecilho para a artista, pois logo desenvolveu habilidade de escrita e desenho com a mão esquerda.

Em 1897, inicia seus estudos de alfabetização no Externato São José. Nesse período, sua mãe começou a dar aulas de pintura. Foi vendo a mãe pintar que Anita teve seus primeiros contatos com a arte.

Passagem pela Alemanha

Anita MalfattiEm 1910, quando Anita tinha seus vinte anos, viajou à Alemanha, com algumas conhecidas, por incentivo e financiamento de seu padrinho, Jorge Krug. Em Berlin, formalizou seus estudos artísticos, que havia começado em casa, com a mãe.

A cidade, nessa época, passou a ser uma espécie de ponto de encontro de artistas vanguardistas do expressionismo, que certamente influenciaram a pintura de Anita. Em Berlin, estudou desenho na Academia Real de Berlin.

Um dos marcos dessa sua passagem pela Alemanha é a visita que fez à quarta Sonderbund, importante exposição de arte moderna, em Colônia, 1912. A exposição contava com grandes nomes da arte moderna, como Cézanne, Gauguin, Van Gogh e outros.

Desse período, restam poucas obras. Algumas delas são A Floresta e O Jardim e Retrato de um professor.

Em 1914, volta ao Brasil, mas apenas de passagem. Realiza uma exposição tentando conseguir uma bolsa de viagem à Europa, mas recebe duras críticas do avaliador. Por isso e por conta da iminência de guerra na Europa, parte para os Estados Unidos, em 1915, novamente financiada pelo padrinho.

Passagem pelos estados unidos

Chegando em Nova Iorque, Anita estuda por um tempo no Art Student League, onde tem contato com uma arte Anita Malfattimais clássica. Logo, entretanto, abandona a liga e, junto com um colega, vai atrás de Homer Boss, um professor e artista que fazia da ilha de Monhegan sua sala de aula e deixava os alunos pintarem à vontade.

No período de dois meses que passou na ilha, pinta uma série de obras, como O farol, Ventania, Paisagem e Marinha.

De volta à cidade de Nova Iorque, continua estudando com Homer Boss, na Independent School of Art. Anita estava novamente no lugar certo, pois a cidade fervia com artistas modernistas e movimentos como o cubismo, o expressionismo e o futurismo. Produz mais uma série de pinturas importantes nessa época, como Mulher de cabelos verdes, Meu irmão Alexandre, A estudante e A estudante russa.

De volta ao Brasil

Já bastante experiente e estudada, Anita Malfatti volta ao Brasil em 1916, já com seus 26 anos. Em 1917, envia uma pintura para o Concurso do Saci, promovido por Monteiro Lobato.

Anita MalfattiO escritor faz críticas severas à pintura de Anita. As críticas fazem com que importantes nomes do cenário artístico brasileiro procurassem a pintora, como Arnaldo Simões Pinto e Di Cavalcanti, convidando-a a fazer uma exposição em seu nome, tornando o nome da pintora ainda mais conhecido.

Conheceu, nessa época, nomes como Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Tarsila do Amaral, Guilherme de Almeida, Sergio Milliet, Menotti Del Picchia e outros.

Semana de arte de 22

Entre os dias 11 e 18 de fevereiro de 1922 ocorre a Semana de Arte Moderna, principal marco do modernismo no Brasil. Anita, dada sua já influência e seu círculo de amizades, teve lugar de destaque na exposição, entrando para o famigerado Grupo dos Cinco. Expôs, ao todo, 22 trabalhos.

Pós-semana de Arte de 22 e morte

Depois da Semana de Arte, viaja para Paris, em 1923, já como uma artista madura e renomada. Continuou, na Cidade da Luz, aprimorando sua técnica. Volta a São Paulo em 1928, onde prepara uma nova exposição, dessa vez com as produções que fez na França.

Em 1930, torna-se professora de arte na Escola Normal Americana, na Escola Normal do Mackenzie College e no seu ateliê.

Anita Malfatti faleceu em 6 de novembro de 1964, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Principais obras

  • A estudante russa (1915);
  • O farol (1915);
  • O barco (1915);
  • A mulher de cabelos verdes (1916);
  • O homem de sete cores (1916);
  • A boba (1916);
  • O homem amarelo (1917);
  • Paisagem de Santo Amaro (1920);
  • La rentrée (1927).

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content