Independência do Brasil: Como aconteceu, quais os responsáveis e Exercícios

Quando pensamos sobre a história do Brasil, encontramos diversos acontecimentos nesses mais de 500 anos. Mas, sem dúvida, um dos mais importantes é a Independência, em 1822 – fato que colocou fim ao domínio português no país.

7 de Setembro de 1822. Esse foi o dia que D. Pedro I gritou, às margens do riacho do Ipiranga, em São Paulo, “Independência ou Morte!“. Nesse momento, o Brasil rompia suas políticas anexas a Portugal e buscava autonomia econômica e social.

Motivos para que o povo brasileiro pedisse a separação da metrópole não faltavam. Improdutividade no setor agropecuário, comércio limitado a Portugal, estados governados pelo vice-Rei, que comandava em nome de Portugal. A situação econômica e política eram precárias!

Como aconteceu?

Independência do Brasil: como aconteceu, quais os responsáveis e muito mais.

O Brasil viveu algumas tentativas de independência anteriores, como é o caso da Inconfidência Mineira, protagonizada por Tiradentes, morto pelo governo português.

Em 1808, a família real portuguesa chega ao Brasil fugindo da invasão napoleônica que acontecia na Europa. Para facilitar o governo e os negócios, em 1815, o rei D. João VI elevou o Brasil a reino e decretou o Reino de Portugal, Brasil e Algarves. Porém, Portugal vivia tempos de crise e insatisfação popular, o que fez D. João tomar a decisão de retornar a Lisboa e nomear seu filho D. Pedro I como Príncipe Regente do Brasil.

Pedro, juntamente com os ministros da colônia, passou a governar o país em março daquele ano.  No entanto, a corte portuguesa estava insatisfeita com o príncipe no Brasil e passou a cortar o seu poder, exigindo que ele voltasse a Portugal.

No dia 9 de Janeiro de 1822, após receber uma carta com 8 mil assinaturas do povo pedindo para que Pedro ficasse, ele anunciou que permaneceria no Brasil – episódio que ficou conhecido como “Dia do Fico“, iniciando uma série de mudanças no governo.

O governante exigiu que as tropas portuguesas voltassem para Portugal, demitiu o antigo ministro do Reino e dos Negócios Estrangeiros, aliado a Portugal, e nomeou José Bonifácio como novo ministro. Além disso, não permitiu que nenhuma lei de Portugal fosse aplicada ao Brasil sem antes obter seu “cumpra-se”.

No dia 7 de setembro, enquanto viajava para São Paulo, Pedro recebeu cartas de sua esposa Leopoldina de Habsburgo-Lorena, contando que a corte portuguesa deu um ultimato, exigindo a volta da família real para Portugal. Insatisfeito com a corte e atendendo à população, Pedro declarou Independência, como conta a história, às margens do riacho do Ipiranga, em São Paulo.

O primeiro Imperador do Brasil

Em 12 de outubro de 1822, Pedro foi coroado Imperador do Brasil, tornando-se Dom Pedro I. No Brasil, havia uma grande pressão das Cortes para que D. Pedro retornasse a Portugal e que o país voltasse novamente a ser uma colônia. O General Avilez, que era Comandante do Rio De Janeiro e homem de confiança das Cortes, tentou obrigar D. Pedro a embarcar, mas foi impedido pela própria população.

Em 29 de Agosto de 1825, na negociação entre Brasil e Portugal, com intermediação da Inglaterra, foi assinado o Tratado de Amizade, firmado entre Brasil e Portugal. O Brasil aceitou pagar a multa de 2 milhões de libras esterlinas a Portugal, montante de dinheiro emprestado pela Inglaterra, dando início à dívida externa brasileira.

Dom Pedro I foi o Imperador do Brasil até 1831, quando abdicou do trono e voltou para Portugal, deixando o Brasil nas mãos de seu filho Dom Pedro II. 

Resultados

Independência do Brasil: como aconteceu, quais os responsáveis e muito mais.

Muitas decisões foram tomadas por D. Pedro I, incluindo convocar uma assembleia constituinte, para enfim criar a primeira constituição brasileira, além de visitar cidades, como Minas Gerais e São Paulo, para tentar acalmar a população que era contra a sua volta a Portugal.

Mas, como nem tudo é unanimidade. Em algumas regiões do Brasil, houve revoltas contra a Independência, as quais concentravam a maior parte das tropas portuguesas, sendo elas: Províncias da Cisplatina (atualmente Uruguai), Bahia, Piauí, Maranhão e Grão-Pará (atualmente apenas Pará). Essa guerra só foi cessada com o reconhecimento da independência brasileira por Portugal, por meio do Tratado da Amizade e Aliança, em 1825.

Apesar da independência, o país não passou por grandes mudanças sociais. Ao contrário do que defendia José Bonifácio, a escravidão não foi abolida, os verdadeiros beneficiados do processo foram os fazendeiros e latifundiários, que, inclusive, tiveram seus privilégios políticos ampliados, e a distribuição de renda continuou extremamente desigual – muitos pobres sequer chegaram a tomar conhecimento do processo de independência.

Agora que você já sabe um pouco mais a respeito da Independência do Brasil, que tal testar os seus conhecimentos nos exercícios que preparamos para você? Basta rolar até o final da página e se divertir! Ah, e não deixe de compartilhar com os seus amigos, desafiando eles também.

Marcela Mazetto

Jornalista formada pela PUCPR, tem 21 anos e é viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Conheça Mais Sobre o Autor

Teste seus conhecimentos sobre Independência do Brasil: Como aconteceu, quais os responsáveis e Exercícios

1) Em 7 de Setembro de 1822, o futuro imperador do Brasil anunciou, às margens do riacho do Ipiranga, a Independência do país, sob qual intuito?

  • a) Adquirir autonomia econômica para a compra de mais escravos para as colonias.
  • b) Romper com as políticas subordinadas a Portugal e adquirir autonomia econômica e social.
  • c) Ganhar um valor em "pensão" de Portugal para elevar a economia do país que estava devastada.
  • d) Contribuir com a expansão marítima de Portugal, fazendo do Brasil um país conquistador de territórios.

2) Quais das causas sitadas abaixo que levaram o Brasil a decretar a sua independência?

  • a) Improdutividade no setor industrial, comércio limitado aos países vizinhos e comando restrito ao nome de Portugal.
  • b) Improdutividade no setor agropecuário, comércio limitado aos países do mesmo bloco econômico e comando restrito ao nome de Portugal.
  • c) Improdutividade no setor agropecuário, comércio limitado a Portugal e comando restrito ao nome de Portugal.
  • d) Improdutividade no setor industrial, comércio limitado a Portugal e comando restrito às ordens dos senhores de escravos.

3) (Adaptado Mackenzie-SP) O processo de independência do Brasil caracterizou-se por:

  • a) ser conduzido pela classe dominante, que manteve o governo monárquico como garantia de seus privilégios.
  • b) ter uma ideologia democrática e reformista, alterando o quadro social imediatamente após a Independência.
  • c) evitar a dependência dos mercados internacionais, criando uma economia autônoma.
  • d) grande participação popular, fundamental na prolongada guerra contra as tropas metropolitanas.

4) Apesar da insatisfação portuguesa com o comando de Pedro I no Brasil, exigindo que ele voltasse a Portugal, o futuro imperador decidiu permanecer no país, tendo o apoio do povo brasileiro, dia que ficou conhecido como:

  • a) Dia da Permanência (7 de Janeiro de 18220).
  • b) Dia do Porto dia (10 de Janeiro de 18220).
  • c) Dia do Não (8 de Janeiro de 18220).
  • d) Dia do Fico (9 de Janeiro de 1822).

5) (Adaptado Unifesp) Realizada a emancipação política em 1822, o Estado no Brasil:

  • a) surgiu pronto e acabado, em razão da continuida­de dinástica, ao contrário do que ocorreu com os demais países da América do Sul.
  • b) sofreu uma prolongada e difícil etapa de consolidação, tal como ocorreu com os demais países da América do Sul.
  • c) vivenciou, tal como ocorreu com o México, um longo período monárquico e uma curta ocupação estrangeira.
  • d) desconheceu, ao contrário do que ocorreu com os Estados Unidos, guerras externas e conflitos internos.

6) (Adaptado Mackenzie-SP) A independência brasileira é fruto mais de uma classe do que da nação tomada em seu conjunto - Caio Prado Jr.

Identifique a alternativa que justifica e complementa o texto.

  • a) A independência foi liderada pelas camadas po­pulares e acompanhada de profundas mudanças sociais.
  • b) O movimento da independência foi uma ação da elite, preservando seus interesses e privilégios.
  • c) Os vários segmentos sociais uniram-se em função da longa Guerra de Independência.
  • d) Os setores médios urbanos comandaram a luta, fazendo prevalecer o modelo político dos radicais liberais.

7) Fragilizado por fatores como a falência do Banco do Brasil e a Constituição outorgada de 1824, Dom Pedro I precisou abdicar do poder em que data?

  • a) 7 de setembro de 1830.
  • b) 7 de novembro de 1821.
  • c) 7 de abril de 1831.
  • d) 7 de agosto de 1832.

Deixe seu Comentário

WebGo Content