Picasso – Quem foi? Biografia e Principais Obras

Picasso foi um dos maiores e mais renomados artistas do século XX. É considerado o cofundador do Cubismo, um dos principais movimentos de arte moderna. Que tal conhecer um pouco mais da vida desta figura tão emblemática que foi Picasso? Confira as informações completas sobre a biografia dele, bem como as suas obras, aqui no Gestão Educacional!

Nascimento e primeiros contatos com a arte

Picasso

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno Crispim Crispiano María de los Remédios de la Santíssima Trinidad Ruiz y Picasso nasceu em 25 de outubro de 1881, em Málaga, província de Andaluzia, Espanha. Seus pais foram José Ruiz Blasco e María Picasso y López.

Há várias lendas a respeito do nascimento do artista, algumas passadas adiante pelo próprio Picasso. Uma delas, inclusive, talvez a mais famosa, sugere que Picasso nasceu morto e foi reanimado com fumo de charuto por um médico.

Na família de Picasso já havia vestígios de arte. Seu pai, José Ruiz Blasco, era pintor e desenhista, mas sem grande talento. Ele pedia para o filho concluir e retocar alguma de suas obras.

A primeira obra de Picasso que se tem notícia é O Toureiro, obra que pintara aos oito anos. Picasso manteve essa obra por perto durante toda a vida.

Picasso

Em 1892, já com seus dez anos, parte com a família para La Coruña, comunidade da região da Galiza. Ali, Picasso continuaria a pintar e desenvolver sua técnica, usando a pintura como forma de expressão.

Em 1895, a família se muda novamente, dessa vez para Barcelona. Na cidade, o artista inicia seus estudos formais de arte em La Lonja, importante escola da época. Nela, Picasso mostra seu talento e logo ganha certa notoriedade, especialmente pela sua irreverência ao convencional. Durante seu exame de admissão na escola, foi bastante elogiado pelos avaliadores.

Voltaria para Málaga em 1897, mas apenas momentaneamente. Logo parte para Madrid, sendo dessa época sua pintura Ciencia y Caridad, bastante aclamada na época.

Na cidade, inicia seu próprio ateliê e se junta à mais importante escola de artes da Espanha, a Real Academia de Belas-Artes de São Fernando, onde ficaria até 1898.

Viagem a paris e fase azul

Picasso parte para a Cidade das Luzes em 1900, junto com um amigo. Nela, conhece Pedro Manãch e Berthe Weill. Além disso, morou com o poeta e jornalista Max Jacob, passando certa necessidade financeira.

Alternando entre Madrid e Paris, em 1901 dá início à sua famosa Fase Azul. É nesse período que o artista começa a assinar suas obras apenas com “Picasso”. Nessa fase, predominavam em suas pinturas os tons azuis e as cenas retratando temáticas como a solidão e a morte.

Tal período duraria até o final de 1904 e o início de 1905, que marca o início de sua Fase Rosa.

Fase rosa e início do Cubismo

Em 1904, inicia um romance com Fernande Olivier, artista e modelo francesa. No final desse ano, inicia sua Fase PicassoRosa, com pinturas mais iluminadas e a predominância de tons de rosa. Também, começa a fazer esculturas e gravuras.

Em 1906, influenciado pela cultura de alguns povos da África e da Oceania, especialmente pelas máscaras ritualísticas dessas culturas, muda sua maneira de pintar, optando pela deformação rítmica e geométrica. É o início do Protocubismo, fase inicial do Cubismo.

Em 1907, conhece Georges Braque, que já pintava de maneira geometrizada, influenciado por Cézanne. Os dois passam a pintar com um estilo muito característico, com a deformação e a fragmentação da realidade em planos vistos simultaneamente por diversos ângulos diferentes. É o início do Cubismo.

A pintura que marca essa transição é uma de suas mais celebradas, Les Demoiselles d’Avignon.

Vida amorosa, guerras e morte de Picasso

PicassoPor volta de 1911, deixa Fernande e passa a se relacionar com Eva Gouel, a quem chama “Ma Jelie”. Porém, esta morre em 1915, deixando Picasso bastante entristecido. A melancolia reflete em suas pinturas, que ganham tons mais sombrios.

Em 1918, Picasso se casa com a bailarina russa Olga Koklova. Seu primeiro filho nasce em 1921 e o artista pinta uma série de quadros relacionados à maternidade. Ficariam casados até 1955, mas num relacionamento muito instável. Picasso não deixaria de se relacionar com outras mulheres nesse período, tendo uma série de outros relacionamentos.

Apesar de seus ideais anarquistas e comunistas, e de ser muito crítico ao fascismo, manteve-se distante dos conflitos da primeira metade do século. Entretanto, usou sua arte como forma de manifestação.

Em 1937, por exemplo, pinta Guernica, que ilustra o bombardeio nazista na cidade de Guernica, na Espanha, durante a Guerra Civil Espanhola. O partido nazista apoiava a ditadura de Francisco Franco.

Durante a ocupação nazista na França, continua produzindo. Os alemães, entretanto, não gostavam das obras de Picasso, de modo que ele ficou impedido de expô-las durante a ocupação. Por seu envolvimento com os ideais comunistas, foi alvo de diversas abordagens pelos nazistas.

Uma dessas abordagens ficou bastante famosa. Numa vistoria em seu apartamento em Paris, um oficial nazista perguntou a Picasso, vendo uma fotografia de Guernica, se fora o Picasso o responsável pelo quadro. O artista negou, respondendo que o responsável foram os próprios nazistas, uma vez que foram eles os responsáveis pelo bombardeamento da cidade.

Picasso morreu em 8 de abril de 1973, em Mougins, França, aos 91 anos de idade, vítima de um infarto.


Referências utilizadas neste conteúdo:

http://artenarede.com.br/blog/index.php/as-mulheres-de-picasso/
WALTHER, Ingo F. Pablo Picasso, 1881-1973: o gênio do século. Koln: Taschen, 1994.


Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de literatura, língua portuguesa e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply