Peixes – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

O grupo dos peixes é composto por aproximadamente 34 mil espécies. São animais vertebrados pertencentes ao filo Chordata e encontrados tanto em água doce quanto em água salgada.

Em geral, sempre associamos os peixes mais comuns a esse grupo, como o salmão e o peixe-palhaço. No entanto, tubarões e raias também o compõem, juntamente com as lampreias, que são animais mais primitivos.

Na realidade, os peixes foram os primeiros vertebrados a colonizar a terra quando se tornaram tetrápodes, ou seja, desenvolveram as quatro patas. Acredita-se que eles habitem o planeta há mais de 500 milhões de anos.

Características físicas

Os peixes são animais vertebrados cobertos por escamas. O corpo é alongado e achatado lateralmente. No entanto, apresentam uma grande variedade de formas.

Algumas espécies, como as enguias, têm o formato do corpo semelhante ao de um verme e sua pele é extremamente pegajosa. A posição da boca, dos olhos e das narinas também varia bastante. Um exemplo são os cavalos-marinhos, totalmente distintos em formato e não apresentam escamas.

Muitos peixes apresentam coloração que favorece a camuflagem no ambiente que habitam. Podem ser de uma única cor, cobertos por escamas de diferentes cores e até mesmo apresentar brilho.

Muitos peixes têm órgãos que produzem luz e outros podem alterar sua coloração para se camuflar.

Peixes adultos variam grandemente em tamanho, de 10mm até 20m de comprimento e pesam entre 1,5g a muitos quilos.

Embora a maioria deles apresente brânquias para respiração, algumas espécies precisam respirar fora d’água, contando com pulmões. Sua visão não é tão boa, portanto, a audição, o paladar e o olfato são melhor desenvolvidos. Além disso, apresentam a linha lateral, que permite maior sensibilidade para a navegação. Outros podem ainda se nortear por descargas elétricas.

Comportamento

Apesar de a maioria dos peixes ser de hábitos diurnos, alguns são noturnos, como as enguias, que passam a noite caçando e se recolhem em buracos ou na vegetação durante o dia.

A comunicação entre os peixes acontece principalmente de forma química, por feromônios, mas pode ser também visual. Sua principal importância é durante o período reprodutivo e para evitar a predação.

Como os peixes não têm pálpebras, eles dormem de olhos abertos, permanecendo praticamente imóveis durante certo período. Algumas espécies descem ao fundo da água para dormir.

Certos peixes têm cuidado parental, enquanto outros deixam os filhotes se virarem sozinhos assim que nascem.

Habitat

Os peixes também ocupam uma grande variedade de habitats. Eles ocorrem desde em fontes termais, onde a temperatura pode ser superior a 45ºC, até em águas geladas do Ártico, onde a temperatura é abaixo de 0ºC.

Além disso, ocupam águas doces e salgadas e manguezais. Esses animais também são encontrados em recifes de corais e florestas de kelp, rios e no oceano aberto.

Alimentação

Os peixes possuem uma dieta variada. Eles podem ser carnívoros, herbívoros ou onívoros. Enquanto alguns se alimentam de algas, outros podem se alimentar do zooplâncton de rios e mares.

Já os peixes cartilaginosos, como os tubarões, são, em geral, carnívoros, e consomem presas como outros peixes e até mamíferos marinhos ou aves aquáticas, caso dos pinguins.

Reprodução

Os meios de reprodução dos peixes também são bastante variados. A grande maioria deposita inúmeros ovos no substrato que é posteriormente fertilizado, fora do organismo.

Para peixes de áreas costais e de água doce, os ovos são postos no fundo da água ou entre plantas. No caso de peixes de ambientes pelágicos, os ovos geralmente ficam flutuando em mar aberto.

Esses seres, em geral, investem mais em quantidade de ovos do que na qualidade, justamente porque há uma grande mortalidade deles e de peixes jovens.

Os machos produzem espermas que serão utilizados para fertilizar os ovos. Em peixes cartilaginosos, como os tubarões e as raias, há um duto que conduz o esperma na cavidade no corpo da fêmea e fertiliza os ovos dentro do organismo. As fêmeas dão à luz a um filhote semelhante aos adultos.

Esses animais são chamados de ovovivíparos, e alguns peixes ósseos apresentam o mesmo tipo de reprodução. Outras espécies são vivíparas e se desenvolvem dentro do ovário da fêmea, saindo dos ovos ainda dentro do corpo materno. Também, há algumas espécies hermafroditas, em que um único indivíduo produz tanto os ovos quanto o esperma, mas é raro acontecer a autofertilização.

Referências utilizadas neste conteúdo: https://www.nationalgeographic.com/animals/fish/
Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Deixe seu comentário