Jaguatirica – Características, Comportamento, Habitat, Alimentação, Reprodução

Considerada o terceiro maior felino das américas e o maior mesofelino do Brasil, a jaguatirica (Leopardus pardalis) é nativa do continente americano. Ocorre desde o Texas (Estados Unidos), até México, Argentina e Uruguai.

No Brasil, está presente em quase todo o território, com exceção dos pampas gaúchos. Nas áreas de ocorrência, apresenta densidade relativamente alta e flexibilidade de habitat, ocorrendo desde áreas de conservação até áreas antrópicas. Assim, conta com grande flexibilidade adaptativa.

Essa espécie é um mamífero que pertence à ordem carnívora e à família Felidae, juntamente com os gatos domésticos, leões e tigres. Muitas vezes, pode ser confundida com o gato-do-mato ou até com a onça-pintada. Na natureza, as jaguatiricas podem viver até os 20 anos. Confira, abaixo, mais detalhes desse felino incrível.

Características físicas

O porte da jaguatirica varia em relação ao habitat no qual está inserida, sendo os indivíduos de áreas florestais maiores do que os de área aberta. Em geral, é um animal esguio, pensando entre 7 e 18 quilos quando adulto. Sem considerar a cauda, seu comprimento pode variar entre 67 e 101 centímetros em um indivíduo adulto. A cauda é relativamente curta, medindo entre 30 e 44,5 centímetros. As patas e a cabeça são grandes quando comparadas com o corpo. Em geral, os machos são maiores que as fêmeas.

Sua pelagem é curta e macia, de cor amarelada e contém várias pintas pretas alongadas pelo corpo. Na cabeça, a pelagem apresenta pequenas pintas pretas e duas faixas pretas em cada bochecha e no pescoço. O ventre é branco com pintas pretas.

Comportamento

É uma espécie de hábito noturno-crepuscular, período que forrageia. Costuma passar a maior parte do tempo no solo, mas pode escalar e nadar. Como a maioria dos felinos, é solitária.

A área de vida varia bastante, sendo que os machos apresentam maior área. Além disso, apresentam comportamento de demarcação do território por fezes e urinas.

Essa espécie também pode alterar os períodos de maior atividade em locais em que co-ocorre com as onças-pintadas (Panthera onca) e onças-pardas (Puma concolor).

Habitat

A jaguatirica pode habitar diversos tipos de habitat, desde áreas florestadas até campos abertos, como os que ocorrem na Caatinga, no Chaco e no Cerrado, e também em planícies inundadas. Além disso, apesar de não ser tão flexível quanto outras espécies em relação ao habitat, pode ser encontrada em ambientes alterados, como áreas agrícolas e pastagens. No entanto, sua presença está sempre associada a áreas florestadas.

Alimentação

Como os felinos, a jaguatirica é uma espécie carnívora. Possui uma dieta variada que inclui mamíferos de pequeno e médio porte, aves, répteis e peixes. No entanto, a maior parte da dieta é composta por roedores, como a paca, a cutia, os tatus, os ungulados e os macacos.

Reprodução

As fêmeas atingem a maturidade sexual aos 18 meses, e os machos aos 15 meses de idade. A fase de reprodução ocorre entre os meses de setembro a novembro. O período de gestação dura entre 70 e 85 dias e pode resultar em um a quatro filhotes. O nascimento pode ocorrer em qualquer época do ano.

Quando nascem, os filhotes possuem pelagem mais escura do que os adultos, porém com padrão semelhante. O cuidado parental da espécie é demonstrado pelo cuidado da mãe com os filhotes em uma toca.

Curiosidades

Apesar de habitar até mesmo áreas alteradas, a jaguatirica é considerada ameaçada em algumas regiões de sua ocorrência, pois sua população é estimada em 40 mil indivíduos. Na Mata Atlântica, a espécie é considerada Vulnerável (VU).

Em nível nacional, ela é classificada como Menos Preocupante (LC), de acordo com o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). As principais ameaças para ela são a caça e o tráfico de animais, mesmo sendo a caça proibida no Brasil e em outros países em que ocorre, sendo atingida também pelo desmatamento.

A ocorrência dessa espécie possui forte associação com áreas de vegetações nativa, como a Reserva Legal (RL) e as Áreas de preservação Permanente (APP). Assim, é fundamental a permanência dessas áreas em paisagens alteradas para a sobrevivência da espécie.

Como é um predador de topo de cadeia alimentar, a jaguatirica tem um papel fundamental no equilíbrio do ecossistema, controlando espécies que são causadoras de doenças, como os roedores.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content