Brasil Colônia: O que foi? Início, Ciclos Econômicos, Escravidão [RESUMO]

O termo Brasil Colônia se refere ao período no qual o país esteve na condição de colônia portuguesa, ou seja, entre 1500 e 1822.

Durante esse período, os portugueses buscavam explorar economicamente o território, à medida que ele ia sendo povoado.

Início do período colonial

Entre 1500 e 1530, os portugueses limitaram suas ações a expedições rápidas pelo litoral para coleta e transporte de pau-brasil. Com navios de várias nações inimigas rondando o território, a coroa portuguesa resolveu intensificar a ocupação com a criação das Capitanias Hereditárias, grandes lotes de terra cedidos pela coroa para exploração, ocupação e defesa.

De todas as capitanias criadas, as que obtiveram mais sucesso foram as de Pernambuco e São Vicente. Com a criação das capitanias, surge o cultivo da cana-de-açúcar para substituir o pau-brasil, este que já se tornava escasso nas regiões litorâneas.

O Governo Geral

Uma vez que a maior parte das capitanias não dera o resultado esperado, a Coroa portuguesa estabeleceu, em 1548, um novo método de administração, o Governo Geral.

O primeiro governador foi Tomé de Souza, que comandou entre 1549 e 1553. Junto com ele um conjunto de leis que determinava as funções administrativa, judicial, militar e tributária do Governo Geral surgiram.

Os próximos governadores foram Duarte da Costa (1553 a 1558) e Mem de Sá (1558 a 1572).

Com a morte deste último e de seu sucessor Dom Luís de Vasconcelos, o governo português dividiu o Brasil em dois governos:

  • Governo do Norte, com sede em Salvador;
  • Governo do Sul, com sede no Rio de Janeiro.

A colônia só voltaria a ter um governo unificado em 1578. Entre 1580 e 1640, Portugal e todas as suas colônias, inclusive o Brasil, ficaram sob o domínio da Espanha, em um período que ficou conhecido como Unificação Ibérica.

Em 1621, ainda às ordens do governo espanhol, o Brasil foi novamente dividido em dois estados: o Estado do Maranhão e o Estado do Brasil. Essa divisão só terminaria em 1774, quando o Marquês de Pombal pôs fim à divisão.

Os ciclos econômicos

Uma vez que o interesse dos portugueses era estritamente econômico, todo o período de duração da colônia será baseado em ciclos que visavam a máxima exploração de um determinado produto, visando o máximo de lucro possível. Um dos produtos mais importantes, e que foi, durante muito tempo, a base da economia colonial, foi o açúcar.

Ciclo da cana-de-açúcar

O ciclo da cana-de-açúcar vai do século XVI ao século XVIII, e seu cultivo teve início nas capitanias de Pernambuco, Bahia e São Vicente, espalhando-se, posteriormente, por outras partes do país.

As plantações ocorriam no sistema de plantation, ou seja, grandes fazendas, cuja produção era voltada para o comércio exterior (sobretudo Europa), utilizando mão de obra escrava, composta por indígenas e africanos. Dentro das fazendas ficavam os engenhos, local onde o açúcar era produzido.

A decadência do ciclo da cana-de-açúcar teve início ainda no século XVII, com a concorrência de holandeses e ingleses, que tinham mais eficiência na produção, desbancando a hegemonia portuguesa.

Ciclo do Pau-brasil

Foi o primeiro item a chamar a atenção dos portugueses, ainda no início do processo de colonização, por conta de produzir um corante avermelhado, utilizado para tingir tecidos, muito apreciado nas cortes europeias.

O pau-brasil foi explorado de forma intensa, primeiro no litoral, e depois no interior do território. Quando a exploração terminou, já no século XIX, a espécie estava à beira da extinção.

Ciclo do Ouro

Teve início no final do século XVII, quando os portugueses encontram diversas jazidas do mineral na região do estado de Minas Gerais, Goiás e do Mato Grosso, atingindo seu auge no século XVIII.

A extração do ouro foi uma alternativa encontrada pelos portugueses para amenizar os prejuízos sofridos com a concorrência mundial pelo mercado do açúcar.

Ciclo do Café 

Trazido ao Brasil em 1727, o café rapidamente começou a ser cultivado no país, adaptando-se muito bem ao clima de certas regiões. Foi a última grande atividade econômica durante o período da colônia, mantendo a importância durante todo o período em que o Brasil foi um Império, e entrando em decadência após a Crise de 1929, que reduziu a demanda e os preços do produto.

A escravidão no Brasil Colônia

O regime escravocrata instituído no Brasil é, sem dúvida, um dos capítulos mais tristes e negativos da história brasileira. Teve início juntamente com a extração do pau-brasil, com escravos indígenas, que habitavam o litoral, sendo explorados.

Posteriormente, iniciou-se o tráfico de negro africanos para trabalhar nos engenhos de cana-de-açúcar, uma vez que a mão de obra indígena já não se mostrava eficiente, principalmente por conta do grande número de mortes em função das doenças trazidas pelos europeus, às quais os índios não tinham imunidade.

Milhões de pessoas foram trazidas da África para o Brasil até a proibição da chegada de novos escravos, em 1850. A abolição da escravidão no Brasil só aconteceu em 1888, com a promulgação da Lei Áurea pela Princesa Isabel.

Fim da Colônia e início do Império

O período colonial terminou em 1822, quando Dom Pedro I, príncipe regente de Portugal, decretou a Independência do Brasil, dando início ao período imperial, que durou até 1889, quando da queda de Dom Pedro II e Proclamação da República no Brasil.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content