Presidentes do Brasil – Quais foram? Lista completa dos eleitos e Exercícios!

Desde a Proclamação da República, em 1889, o Brasil já teve 37 presidentes. Recentemente, o país elegeu o 38º. Confira quem são essas figuras e como foram seus mandatos.

presidentes do Brasil

1. Deodoro da Fonseca (1889-1891)

Deodoro da Fonseca foi o primeiro presidente da República. Após o fim do Império, esse alagoano foi escolhido pelos revolucionários, sem a realização de eleições livres. O marechal chefiou o governo provisório, que foi responsável por organizar a República e suas leis. Esse é um governo marcado por muita instabilidade política.

2. Floriano Peixoto (1891-1894)

Quem sucedeu Deodoro foi o também alagoano Floriano Peixoto, novamente sem eleições diretas. Ele governou com mãos de ferro e ajudou a consolidar e a estabilizar a República. Uma de suas ações foi a reabertura do Congresso, que havia sido fechado por Deodoro da Fonseca.

3. Prudente de Morais (1894-1898)

O paulista Prudente de Morais foi o primeiro presidente civil do Brasil. Eleito pelo povo, buscou diminuir o poder e a influência do Exército no governo e também reduzir as soluções bélicas, almejando mais diálogo e conciliação.

4. Campos Sales (1898-1902)

Campos Sales também era paulista e ajudou a implantar a política do café com leite, que passaria o poder do governo brasileiro às elites paulistas e mineiras. Em meio a uma grave crise econômica, Campos Sales foi o primeiro presidente a viajar ao exterior, negociando a dívida externa brasileira com os bancos ingleses.

5. Rodrigues Alves (1902-1906)

Com um país mais estável economicamente, o paulista Rodrigues Alves conseguiu desenvolver algumas obras para o crescimento da capital Rio de Janeiro e enfrentou poucas revoltas. Foi em seu mandato que o estado do Acre tornou-se parte do território brasileiro.

6. Afonso Pena (1906-1909)

Mineiro de Santa Bárbara, Afonso Pena não concluiu o seu mandato, pois morreu em 14 de junho de 1909. Foi grande incentivador das ferrovias para interligar o país, o que permitiu uma grande melhoria no transporte brasileiro. Com o lema “governar é povoar”, incentivou a imigração e o povoamento nos quatro cantos do país.

7. Nilo Peçanha (1909-1910)

O carioca Nilo Peçanha ficou pouco mais de um ano à frente da Presidência da República, pouco marcando a administração pública brasileira. Ele inaugurou o ensino técnico no país e o Serviço de Proteção aos Índios (antecessor da Funai).

8. Hermes da Fonseca (1910-1914)

O gaúcho Hermes da Fonseca era sobrinho de Deodoro e alcançou o poder apoiado pelos mineiros e por Nilo Peçanha. Seu governo foi marcado por vários conflitos, como a Revolta da Chibata e a Guerra do Contestado.

9. Venceslau Brás (1914-1918)

O mineiro Venceslau Brás chegou ao poder sendo fruto de um acordo entre paulistas e mineiros para a sucessão de Hermes da Fonseca. Seu governo ocorreu em meio à Primeira Guerra Mundial, o que gerou a escassez de diversos produtos. Isso fez com que Venceslau incentivasse a criação do parque industrial nacional.

10. Delfim Moreira (1918-1919)

Rodrigues Alves ganhou as eleições e seria o presidente novamente, mas acabou morrendo antes de assumir. Com isso, Delfim Moreira assumiu temporariamente, até a realização de novas eleições. Ainda assim, ele atuou na reforma de alguns itens do Código Civil.

11. Epitácio Pessoa (1919-1922)

Uma marca do paraibano Epitácio Pessoa foi a prioridade ao Nordeste, no sentido de buscar um desenvolvimento mais consolidado para a região. Uma curiosidade é que ele foi eleito enquanto estava na França, participando das negociações do Tratado de Versalhes, o qual deu fim à Primeira Guerra Mundial. Esse é um caso único na história do país.

12. Artur Bernardes (1922-1926)

Artur Bernardes sofreu com muita instabilidade interna e diversos conflitos, como uma guerra civil ocorrida no Rio Grande do Sul. No governo desse mineiro de Viçosa, o Brasil saiu da Liga das Nações (que antecedeu a ONU).

13. Washington Luís (1926-1930)

O carioca Washington Luís foi o último presidente da chamada República Velha, período que se estendeu da proclamação da República até a Revolução de 1930, que, inclusive, o depôs. Em meio à crise política e econômica, incentivou a construção de rodovias e buscou reformar a economia nacional.

14. Getúlio Vargas (1930-1945)

Júlio Prestes chegou a ser eleito presidente, mas, devido à revolução, não tomou posse. Em seu lugar assumiu o gaúcho Getúlio Vargas, líder dos revoltosos, o qual ficou mais tempo no poder, em toda a história brasileira. Seu governo foi mais centralizado e com maior atenção à classe trabalhadora. No entanto, em 1937, deu um golpe, criando o Estado Novo, em que os poderes foram concentrados nele, além de instaurar a censura, em um governo ditatorial. No entanto, acabou caindo, em 1945.

15. José Linhares (1945-1946)

Com a queda de Vargas, assumiu José Linhares, então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele ficou por apenas três meses, até a eleição de Eurico Gaspar Dutra.

16. Eurico Gaspar Dutra (1946-1951)

O mato-grossense Eurico Gaspar Dutra recebeu o apoio de Vargas para ser eleito na primeira eleição para presidente, em muitos anos. Ele buscou desenvolver as infraestruturas essenciais que o país necessitava para o seu desenvolvimento, no princípio de uma época de ouro do Brasil.

17. Getúlio Vargas (1951-1954)

Getúlio Vargas voltou aos braços do povo, prometendo investir na industrialização e ampliar a legislação trabalhista. Mas, mesmo tendo ganho democraticamente, sofreu pressão o tempo todo para sair do cargo. Diante de uma grave crise, tendo até mesmo os militares contra ele, Vargas se suicidou, para entrar para a história, como diz a carta encontrada junto ao seu leito de morte.

18. Café Filho (1954-1955)

O então vice-presidente Café Filho assumiu o posto de Vargas, até a ocorrência de novas eleições. Doente, não ficou muito tempo e acabou sendo afastado.

19. Carlos Luz (1955)

Seu mandato durou apenas três dias, um recorde na política brasileira. Devido às suspeitas de que ele não queria entregar o cargo para o eleito Juscelino Kubitschek, Carlos Luz acabou sendo forçado a sair do posto.

20. Nereu Ramos (1955-1956)

Nereu Ramos durou menos de 3 meses na Presidência, guardando a cadeira para Kubitschek. O país ainda vivia o caos, após o suicídio de Vargas.

21. Juscelino Kubitschek (1956-1961)

Com o slogan “50 anos em 5”, o mineiro Juscelino Kubitschek lançou um programa de metas audacioso, para fazer a economia brasileira crescer. Em seu mandato, foi construída a cidade de Brasília e ocorreu um grande incentivo à indústria automobilística e à construção de estradas. No entanto, seus investimentos levaram o país a contrair muitas dívidas.

22. Jânio Quadros (1961)

O sul-mato-grossense Jânio Quadros herdou um país em grave crise econômica. Com uma política externa independente, ele buscou a neutralidade na Guerra Fria, para negociar com capitalistas e socialistas. Sem apoio político, Jânio Quadros renunciou, após sete meses no poder, em uma atrapalhada tentativa de autogolpe.

23. Ranieri Mazzilli (1961)

Ranieri Mazzilli assumiu a presidência por 13 dias, entre a renúncia de Quadros e o retorno do vice-presidente João Goulart, que estava no exterior.

24. João Goulart (1961-1964)

Foi durante o governo de João Goulart que os conflitos de classes se exacerbaram e as tentativas de tomada de poder resultaram em uma conspiração que derrubou o presidente eleito e instaurou, em 1964, uma Ditadura Militar, até 1985. Acusado de tentar implantar um regime comunista no Brasil, o presidente gaúcho buscou realizar várias reformas para privilegiar os menos favorecidos, ao mesmo tempo em que enfrentava uma grave crise econômica. No entanto, membros da elite brasileira se aliaram à classe média e aos militares e derrubaram “Jango” – apelido pelo qual era conhecido.

25. Ranieri Mazzilli (1964)

Mazzilli reassumiu a presidência, novamente por 13 dias, enquanto os militares escolhiam quem iria governar o país, no novo regime.

26. Humberto Castelo Branco (1964-1967)

presidentes do Brasil Regime Militar

O governo de Castelo Branco foi o primeiro presidente-general da ditadura militar. A Constituição foi modificada, o Congresso Nacional fechado e a imprensa censurada. Quase todos os partidos políticos foram abolidos e as eleições para presidente foram extintas.

27. Artur da Costa e Silva (1967-1969)

No governo de Costa e Silva, aumentava, consideravelmente, a repressão aos opositores. Com uma administração mais centralizadora, esse gaúcho restringiu ainda mais a democracia e intensificou a perseguição política, suprimindo diversos direitos a quem ameaçasse seu governo.

Costa e Silva precisou abandonar o posto após um derrame cerebral. Até a escolha de um novo general para comandar o país, o posto ficou a cargo de uma junta militar, composta por Aurélio de Lira Tavares, Augusto Rademaker e Márcio de Sousa Melo, que ficou dois meses no poder.

28. Emílio Garrastazu Médici (1969-1974)

O governo do gaúcho Emílio Garrastazu Médici ficou conhecido de duas formas: no âmbito econômico, ocorreu o que se conhece como “milagre brasileiro”, em que a economia cresceu e as condições de vida de uma camada da população melhoraram, embora com um custo muito grande na década seguinte; já no lado político, sua marca foi a da repressão e tortura, em um período em que se aumentaram as mortes e o desaparecimento de centenas de pessoas.

29. Ernesto Geisel (1974-1979)

Em mais um governo gaúcho, Ernesto Geisel não pertencia à chamada “linha-dura”. Impôs o que chamou de abertura política, “lenta, gradual e segura”. Porém, a repressão prosseguiu em sua administração, com casos que geraram muito escândalo e repercussão.

30. João Figueiredo (1979-1985)

O carioca João Figueiredo foi o último presidente do período da ditadura militar, em que ocorreu uma abertura maior dos direitos, com a existência de mais de dois partidos, além das eleições de outros cargos, menos o de presidente.

31. José Sarney (1985-1990)

O mineiro Tancredo Neves fez oposição a João Figueiredo e venceu as eleições indiretas, de 1985. Porém, ele adoeceu subitamente e morreu, sem tomar posse. Em seu lugar, assumiu o vice José Sarney. Durante o governo desse maranhense, foi elaborada a Constituição atual (de 1988), além do retorno às eleições livres para presidente.
Se no campo político foram períodos de abertura e esperança, na economia, o Brasil viveu anos de muita inflação, trocas de moeda e extrema pobreza.

32. Fernando Collor de Mello (1990-1992)

Fernando Collor de Mello foi o primeiro presidente da Nova República, eleito democraticamente pela população. No entanto, seu mandato registrou políticas econômicas controversas, como o confisco da poupança, que não destravou a economia, nem evitou o descontrole inflacionário. Envolto em escândalos de corrupção, acabou sofrendo um processo de impeachment, em 1992.

33. Itamar Franco (1992-1995)

O vice-presidente Itamar Franco assumiu a presidência no lugar de Fernando Collor de Mello. Seu governo foi marcado por maior estabilidade política e também pelos princípios que iam embasar um restauro da economia brasileira, em especial com o Plano Real, que controlou a inflação.

34. Fernando Henrique Cardoso (1995-2003)

O carioca Fernando Henrique Cardoso foi o primeiro presidente a permanecer no cargo por dois mandatos seguidos, após incluir a reeleição na Constituição, durante o seu primeiro mandato. Ele deu prosseguimento ao Plano Real e realizou muitas privatizações de empresas e bens estatais. A economia se estabilizou até o final da década, quando o país foi assolado por novas crises.

35. Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011)

O pernambucano Luiz Inácio Lula da Silva fez um governo voltado para o lado social, com iniciativas para acabar com a fome, tirar as famílias da pobreza e fazer com que a população ascendesse socialmente. A economia cresceu ainda mais, empurrada por fortes investimentos estatais em infraestrutura e educação, além de que contou com o bom cenário econômico internacional. Seu governo também foi marcado por muitas denúncias de corrupção, em praticamente todas as esferas de governo.

36. Dilma Rousseff (2011-2016)

Primeira mulher a se tornar presidente do Brasil, a mineira Dilma Rousseff foi eleita duas vezes, mas não conseguiu completar o segundo mandato. Dilma prosseguiu com as políticas sociais de Lula, mas enfrentou forte retração na economia mundial, sendo que suas decisões para enfrentar o problema foram muito criticadas. Mesmo após ter sido reeleita, sua popularidade passou a cair, também graças às seguidas denúncias de corrupção em seu governo. Vítima de um controverso processo de impeachment, foi afastada em 2016.

37. Michel Temer (2016-2018)

Vice-presidente de Dilma Rousseff, o paulista Michel Temer assumiu no lugar da ex-presidente. Seu governo prosseguiu marcado por inúmeras denúncias de corrupção e por sérias dificuldades para alavancar a economia e gerar empregos.

38. Jair Bolsonaro (2019-)

No dia 28 de outubro de 2018, foi eleito o 38º presidente da República, o capitão da reserva Jair Bolsonaro. Apoiado por empresários e por diversos setores das Forças Armadas, o paulista de Glicério ganhou a eleição com um forte discurso contra a corrupção e a favor da população se armar para combater o crime.

Agora que você já sabe um pouco mais a respeito dos presidentes do Brasil, que tal testar os seus conhecimentos nos exercícios que preparamos para você? Basta rolar até o final da página e se divertir! Ah, e não deixe de compartilhar com os seus amigos, desafiando eles também.

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Teste seus conhecimentos sobre Presidentes do Brasil – Quais foram? Lista completa dos eleitos e Exercícios!

1) Qual foi o primeiro presidente do Brasil, após ser declarada a República?

  • a) Pedro Álvares Cabral.
  • b) Dom Pedro I.
  • c) Marechal Deodoro da Fonseca.
  • d) Floriano Peixoto.

2) Em que ano foi eleito o primeiro presidente civil do Brasil, por meio de votação direta?

  • a) 1894.
  • b) 1895.
  • c) 1896.
  • d) 1898.

3) Durante o governo Campos Sales, passou a ser estabelecida um política de divisão do poder entre representantes de dois grandes estados de maior poder econômico no país: os cafeicultores paulistas e os leiteiros mineiros. Esse período da República Velha ficou popularmente conhecido como

  • a) Política de divisão.
  • b) Política da vizinhança.
  • c) Política do café com leite.
  • d) Política externa.

4) Qual presidente ficou conhecido pela centralização do poder e por governal em um regime ditatorial por cerca de 15 anos?

  • a) Floriano Peixoto.
  • b) Humberto Castelo Branco.
  • c) Emílio Garrastazu Médici.
  • d) Getúlio Vargas.

5) Em 1956, um presidente assume o poder prometendo desenvolvimento rápido ao país, campanha essa que ficou conhecida pelo lema "50 anos em 5". Quem foi essa figura?

  • a) Jânio Quadros.
  • b) Juscelino Kubitschek.
  • c) João Figueiredo.
  • d) Itamar Franco.

6) Com uma administração centralizada, marcada por represália e perseguição política, tendo seu ápice com a instituição do AI-5, esse presidente governa em um período conhecido como o mais sombrio do regime militar no país. A partir desses dados, a qual presidente esse trecho se refere?

  • a) Artur da Costa e Silva.
  • b) Humberto Castelo Branco.
  • c) Ernesto Geisel.
  • d) João Figueiredo.

7) No governo de qual presidente ocorre a implementação do chamado Plano Real, projeto para restauração da economia brasileira e controle da inflação?

  • a) Fernando Collor de Mello.
  • b) Itamar Franco.
  • c) Fernando Henrique Cardoso.
  • d) Dilma Rousseff.

4 Comentários

  • Djalma Cristo disse:

    Uma oportunidade muito boa para testar o conhecimento sobre a presidência do Brasil em todos os tempos, nota dez !

  • Jucelio Lima disse:

    Mais me impressiona são as idades das pessoas que roubam no governo com idade muito avançada que não tem expectativa de vida por mais de 10 anos .eu queria ter oportunidade de perguntar para essas pessoas que roubam do governo Qual é o seu objetivo de roubar tanto . Que será que eles não se comove com tantas pessoas sofrendo no hospitais nas ruas e etc

  • Ricardo Carvalho disse:

    É o Brasil pelo visto foi é e sempre será uma bagunça.

  • Liani Tavares da Silva disse:

    So errei uma. Uhuuuu👏👏🤩

Deixe seu Comentário

WebGo Content